“O festival da Gamboa é um festival que marca a agenda cultural da Cidade da Praia (…) portanto é para continuar daqui a não sei quantos anos, mas ninguém sabe o que que vai acontecer amanhã. Nós pensamos que poderá ser ainda aqui, mas também pode acontecer noutro sítio, sendo que aqui ainda é possibilidade”, disse.

António Lopes da Silva, que falava em declarações à Inforpress, respondeu ainda às críticas levantadas sobre o preço de entrada, afirmando que 500 escudos é um preço “razoável” pela qualidade dos artistas convidados.

“Quinhentos escudos para o nível dos artistas aqui não é caro, mesmo que fosse 1000 escudos ao dividir para cada artista nem chega a 50 escudos para cada um”, declarou.

O vereador comparou ainda o preço com outros festivais nacionais, afirmando que a Câmara da Praia realiza o festival em função da qualidade.

“Na ilha do Fogo um festival custa 1200 escudos e não tem os artistas que nós temos. No interior da ilha de Santiago também custa mais. Se por 500 escudos as pessoas não quiserem vir o problema é das pessoas, nós faremos o nosso festival em função da qualidade”, assegurou.

Para o vereador da cultura, o festival está a ser bem organizado e possui uma agenda “muito” boa.

NOTÍCIA ATUALIZADA

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.