A programação da 7ª edição do Festival do Grito Rock Praia que acontece neste mês na ilha de Santiago foi anunciada hoje, dia 13, pela organização ARTiKUL CJ.

O evento, que este ano está associado à campanha ambiental 350 CV com o tema “Nha lixo é meu”, arranca no dia 20 com o “Grito Cordas”, uma novidade onde o ponto alto é a guitarra acústica.

“Vamos mostrar as habilidades dos nossos guitarristas no Centro Cultural Português da Praia”, revela César Freitas, da organização.

Alicia Maria, Tó Tavares, Quim Bettencourt, Ze Rui de Pina, Manel di Candinho, Kaká Barbosa e Djick Oliveira são os artistas que vão participar no “Grito Cordas”.

No dia 21, quinta-feira, acontece o “Mini Grito” na Escola SOS Hermann Gmeiner com atuação das escolas Pentagrama, Gota D’Arte e Mira Flores e dos artistas Alícia Maria, Vanilson Lima e o Palhaço Paçocas e banda.

No dia seguinte segue o “Grito Encontro”, um evento que segundo a organização visa dar as boas vindas aos artistas que vão atuar no Festival e uma visita guiada ao Palácio da Cultura Ildo Lobo (PCIL).

No sábado, dia 23, acontece o ponto alto do Grito Rock com o festival com a atuação de bandas internacionais e nacionais.

“Em relação ao ano passado em que tivemos seis bandas internacionais, este ano vamos ter apenas 2 devido à conjuntura, com a excepção dos BlackSide, uma banda que conseguimos reactivar. Tínhamos o plano trazer outras bandas mas não foi possível”, diz César Freitas.

WS Family, RockD’Ilhas, uma banda formada praticamente por elementos do conjunto Bulimundo, Primitive, Lazywall (Marrocos), BlackSide, uma banda formada em 1995 e Galiot Band (Espanha), são as bandas que vão atuar na 7ª edição do festival.

No mesmo dia, a organização do evento vai homenagear o músico Kaká Barbosa pelo seu percurso na música cabo-verdiana, bem como fazer uma campanha ambiental focada na biodiversidade marinha e no problema do plástico nos oceanos.

O Grito Rock Praia 2019 segue no dia seguinte com o “Grito Aberto” no Centro Cultural da Cidade Velha, que consiste numa conversa aberta sobre o intercâmbio cultural alternativo, visitas aos centros históricos e monumentos da Cidade Velha.

No dia 25, acontece o Grito Jam no Tarrafal de Santiago, que consiste num encontro com os artistas e bandas locais, bem como visitas guiadas.

A 7ª edição do Grito Rock, que está orçada em três mil contos, encerra no dia 26 de março com uma conversa aberta sobre os movimentos do Grito Rock e produção de música alternativa em Cabo Verde. O encerramento do evento acontece pelas 19h00 no Palácio da Cultura Ildo Lobo, no Plateau.

O Grito Rock Praia surgiu em 2013 e já vai na 7ª edição.  Segundo a organização, o balanço desses anos do festival é positivo. “Acreditamos que o Grito Rock Praia seja para sempre”, diz Ricardo Teixeira, também da organização.

Palácio da Cultura Ildo Lobo “virado para o futuro”

Durante a conferência de imprensa que teve lugar hoje no PCIL, o diretor geral das Artes e Indústrias Criativas, Adilson Gomes, revelou que, brevemente o PCIL vai ter contentores de separação do lixo, jardim vertical e vão passar a trabalhar durante o dia com energia solar. “Estamos a tentar fazer um espaço cultural que pensa no futuro".