Em entrevista à Inforpress, Tibo Évora disse que assim que recebeu o convite pensou teria que abraçar este projecto e representar Cabo Verde neste evento cultural online, que tem como padrinho o músico senegalês Youssou N´dour, para comemorar o dia da Africa, efeméride assinalado hoje.

“É uma honra juntar-me a artistas de renome para representar Cabo Verde e cantar África, no dia deste continente. Pensei que poderíamos aderir ao projecto e mostrar ao mundo que Boa Vista é uma ilha que é exemplo, para que outros países em dificuldade possam levantar perante o coronavírus”, afirmou Tibo Évora .

É neste contexto que este artista, nascido na França e que vive na ilha da Boa Vista, avançou que gravou uma mensagem explicando a realidade que o País vive de momento, destacando a união que resultou no “sucesso” da Boa Vista, na luta do novo coronavírus.

Segundo a mesma fonte, conseguiu-se com trabalho em conjunto com Câmara Municipal de Boa Vista, o Governo, Associação Comunitária Unidos pela Boa Vista (ACUB), SOS Bubista e a população que cumpriu, ao ficar em casa.

“Quero mostrar que a união fez a força e a ilha é prova deste sucesso, que merece ser divulgado ao mundo”, disse o artista, que se identifica como “cabralista”, daí apontou que traz esta ideologia na sua mensagem, baseada na prática do sentimento de união, sob a máxima “Unidade e Luta”, do herói nacional Amílcar Cabral.

“Pombinha”, do disco de Tibo Évora, é a música a juntar-se à bandeira de Cabo Verde no WAN, feita em parceria com a União Africana Brodcasting, que junta cantores e personalidades africanas como Angelique Kidjo, Fally Ipupa, Jummy Clief, Salif keita e o grupo Kassav, entre outros, para “sensibilizar o continente sobre a pandemia e pensar depois do coronavírus”.

Conforme o cantor, a música simboliza “fé, esperança e paz”, daí esta escolha para cantar ao continente africano e ao mundo no evento, que terá ainda debates, conferências e trocas de ideias, sobretudo para abordar o problema vivido neste período de crise sanitária, esperando ainda atingir cerca de 500 milhões de telespectadores.

“Vivemos um momento na história da humanidade que temos que reflectir, pensar e preocupar-se na família, e no próximo que amamos, é um momento para renascermos nos nossos pensamentos, nos nossos corações e na nossa relação com a humanidade”, analisou o cantor, que considera que “há que se ter mais responsabilidade no cuidado ao próximo, e na protecção de natureza”.

Tibo Évora almeja e disse ter fé que se vai construir “um mundo novo, com mais amor, mais saúde e mais solidariedade”.

O artista envia “força para a população de Santiago” e pede para que cumprem sobretudo o distanciamento social, uma das “condições primordiais” para “conseguir vencer e levantar a cabeça perante o inimigo invisível”.

“Não temos que nos descuidar, temos que pensar que isto não está no fim, porque a luta ainda não terminou. Unidade é luta”, reiterou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.