A coletânea, que inclui o conto “O Planeta Mágico”, “O Planeta Azul” e “Sou Diferente”, é, segundo a escritora, em declarações à imprensa, um desafio que visa transformar crianças conscientes em adultos transformadores em questões relacionadas com o meio ambiente, direitos humanos e diversidade.

“São três livros que, em forma de contos, ensinam os mais jovens como respeitar os direitos, do ambiente e, neste caso falamos da água e o objetivo é sensibilizar as crianças a terem atitudes ecológicas. O terceiro livro é redondo e fala da diversidade”, disse.

No livro “O Planeta Azul”, que aborda a temática da água, realçou a escritora, o personagem se transforma em elementos da natureza diante das ameaças de extinção, ensina o que fazer e como fazer para salvar o planeta.

Já o livro redondo, considerado o mais integrante e que fala de diversidade, é segundo a autora, uma “grande aventura” já que ao entrar na biblioteca, por ser de formato diferente, vai enfrentar vários desafios relacionados com a diversidade e inclusão.

“Os três livros deixam recomendações no sentido de salvarmos o ambiente, de vermos no outro um amigo e irmão para construirmos o mundo fraterno e digno como indica a carta dos direitos humanos”, acrescentou.

A coletânea, realçou a autora, pode servir de suporte aos professores para poderem abordar os vários conceitos com os alunos na sala da aula.

A apresentação do livro esteve a cargo da primeira-dama, Lígia Fonseca, da professora e escritora Fátima Bettencourt, e do sociólogo e escritor Nardi Sousa.

Zaida Sanches, que é formada em Ciências da Comunicação e pós-graduada em Ciência Política, e também em Diplomacia, lançou em 2009, a sua primeira obra “Coleção Stera” de quatro contos infantojuvenis, cujo objetivo foi o de preservar aspetos da tradição cabo-verdiana.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.