Em comunicado de imprensa enviado à Inforpress, a ACL avança que este prémio é de periodicidade bienal e promovido pelo BCA e visa galardoar uma obra inédita de um autor cabo-verdiano no domínio da literatura.

Conforme explicou, para este prémio foram admitidas a concurso obras literárias em prosa e verso, redigidas em língua portuguesa e língua cabo-verdiana.

O Júri deste grande prémio, de acordo com a ACL, foi constituído por personalidades do mundo académico de reconhecimento, idoneidade e é presidido pela professora Maria Faria, sendo ainda constituído por Augusta Évora Teixeira e Maria de Fátima Fernandes.

Para o apuramento da obra vencedora desta segunda edição do concurso, a qual concorreram oito obras, o júri, adianta a mesma fonte, procedeu a atribuição de uma pontuação na escala de 0 a 100 pontos.

Corsino Fortes nasceu a 14 de Fevereiro de 1933, no Mindelo, S. Vicente, tendo sido aplaudido pela crítica como o príncipe ou o poeta maior de Cabo Verde.

A poesia tornou-se pública na sua vida, em 1957, quando saíram os seus primeiros poemas no jornal do 3º Ciclo Liceal. Licenciou-se em Direito, pela Universidade de Lisboa em 1966, onde viveu na Casa dos Estudantes do Império.

Os seus poemas apareceram nos anos 1960, em algumas publicações como a revista Claridade ou a Antologia Modernos Poetas Cabo-verdianos.

Mas só lançou o seu primeiro livro em 1974, “Pão & Fonemas”, que com “Árvore & Tambor”, editados em 1986 e “Pedras de Sol & Substância”, em 2001, formou “A Cabeça Calva de Deus”. A trilogia conta a saga do povo para a liberdade

Presidiu à Associação dos Escritores de Cabo Verde (2003-2006). As obras como “Pão e Fonema” ou “Árvore e Tambor”, expressam uma nova consciência da realidade cabo-verdiana e uma nova leitura da tradição cultural do arquipélago.

Corsino Fortes faleceu no dia 24 de Julho de 2015, depois de longos anos de luta contra o cancro e de ter lançado novo livro, a menos de uma semana antes da morte.

A ACL é uma pessoa colectiva que tem por objecto a promoção e o incentivo das letras e da Literatura Cabo-Verdianas, a difusão da cultura, preservação da memória e do legado da literatura cabo-verdiana e o enaltecimento de grandes vultos e outros notáveis da produção literária.

A referida associação visa ainda a promoção e a difusão das obras, dos estudos e dos ensaios relativos à criação literária cabo-verdiana e a valorização das obras do reconhecimento mérito portadores de valores universais.