À Inforpress, o actor Tikai assegurou que a ilha d Maio esteve sempre na agenda da apresentação do  trabalho do seu grupo, que na sua opinião está ser bem aceite pelo público, principalmente na ilha de Santiago, pelo que disse esperar uma boa adesão do público maiense.

“A ilha do Maio foi está sempre no nosso plano de apresentação, porque desde iniciou viemos cá e fomos bem recebidos, por isso isto  é como um compromisso e  todas as vezes que temos um trabalho novo fazemos a questão de vir cá para partilhar com este povo magnífico que sempre nos recebeu de braços aberto”, frisou.

Aquele representante disse ainda que tendo em conta o mês Março, mês de teatro, decidiram agraciar o público maiense com  este peça, que conforme avançou retrata um pouco sobre a importância do respeito dos filhos para com os seus pais e para que honra esta responsabilidade, algo que na sua opinião deve ser perpetuado para sempre na sociedade  Cabo-verdiana.

“Esta peça posso considerar que foi muito bem sucedido, porque acabamos por dar um passo para além do normal, tendo em vista que tivemos a oportunidade de apanhar um texto bíblico em duas linhas e transformamos em um trabalho de duas horas, adaptado na realidade Cabo-verdiana, por isso acho que vale a pena os maienses virem isso, razão da nossa vinda até aqui”, notou.

Devido a falta de tempo, Tikai afiançou que desta vez vão apresentar um espectáculo único na cidade do Porto Inglês, por isso aproveitou a oportunidade para exortar ao público para comparecer “em massa”, porque vão ter oportunidade de se divertirem e dar “uma gargalhada” no final.