“(…) a obra e a energia ímpar que Jorge Neto partilhou nos palcos numa carreira musical de mais de 30 anos, ficará na nossa história e o manterá vivo entre nós”, considerou a SCM num comunicado de pesar.

À família do Jorge Neto, aos músicos cabo-verdianos e ao povo cabo-verdiano, a SCM exprime as suas “mais sentidas condolências e imensa força pela perda irreparável”, e recorda que o malogrado se eternizou com a melodia “Rosinha”, em 1987, como representante da Holanda no concurso Todo Mundo Canta, do qual foi vencedor.

A SCM lembra que Jorge Neto integrou a mítica banda “Livity” grupo com o qual gravou dois CD, para em 1995 apostar numa carreira a solo, coroada de sucessos e que inscreveu ainda o seu nome como vencedor do prémio de Melhor Artista em Palco, nos CVMA (2011 e 2012), e Prémio Mérito e Excelência, com o qual foi homenageado em 2006, durante a segunda edição da Gala Somos Cabo Verde.

O artista considerado o “show man”, refere a nota, deixa nove álbuns no seu curriculum, designadamente “Dja ca Da”, “Jorge Neto”, “Papia Bu Manera”, “Dia Diferente”, “Neto e Cabo Verde”, “Boca Povo”, “Rapaz Novo”, “Harmonia”, e por último “Nha Palco”.

Nascido a 03 de Dezembro de 1964 em São Tomé e Príncipe, António Jorge Costa Neto, musicalmente conhecido por Jorge Neto, filho de mãe cabo-verdiana e pai santomense foi considerado o ícone dos palcos, dada a forma como passeava a sua classe pela multidão.

Faleceu aos 55 anos, vitima de um duplo acidente vascular cerebral em Lisboa, Portugal, com o qual vinha lutando desde finais de Dezembro de 2019.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.