De acordo com uma nota enviada à Inforpress, o MCIC vai apoiar os melhores projetos selecionados no referido concurso, com parcerias institucionais e incentivo financeiro aos promotores.

Poderão participar neste concurso público pessoas singulares de nacionalidade cabo-verdiana e pessoas coletivas cabo-verdianas e com sede estatutária em Cabo Verde.

Para a seleção, o promotor vai basear-se em critérios como a promoção e projeção da cultura cabo-verdiana, a visibilidade social, o retorno à comunidade, a repercussão a nível nacional, criatividade e originalidade e a sustentabilidade entre outros. Os resultados do concurso serão divulgados no dia 20 de janeiro de 2020.

Em 2019, o Ministério da Cultura financiou 43 dos 139 projetos que se candidataram aos fundos públicos.

A maior parte das candidaturas veio da ilha de Santiago, com 77 candidaturas, São Vicente, 25, e Santo Antão com oito candidaturas.

Sal e do Fogo fizeram sete, Boa Vista e maio tiverem dois projetos.

Da diáspora, Portugal apresentou cinco e Luxemburgo um e os outros quatro não deram indícios da sua origem.

Grande parte das candidaturas apresentadas foram projetos musicais (33), seguindo-se a literatura, com 19,  e o teatro, com 15.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.