Quem o afirmou foi o presidente da Associação Mindelact, João Branco, entidade promotora do teatro em Cabo Verde e que fundou o evento no ano 2000, que se quer uma mostra de teatro das ilhas em que, em cada uma, os grupos locais de teatro se mobilizem e organizem a sua própria participação no evento.

Participação que tem tido como força-motriz as câmaras municipais, apontou Branco, que manifestou satisfeito por “Março – Mês do Teatro” se ter transformado num conceito nacional, apesar de ter nascido no Mindelo.

Em relação a São Vicente, serão 15 espetáculos de 01 a 31 de março, escolhas e produção exclusiva dos grupos e companhias como Teatro 17, Morabeza Teatro, Projeto Gracia Lorca, Teatro Lambe Lambe, Grupos Craq Otchod, Companhia Criar Teatro, Somá Cambá, Salesianos, Sukrinha, CCC do Mindelo, Ganga/Kcena, Centro Craquinha ArTeatri, Ricado Fidalga e Tchon Poesia.

“Estamos satisfeitos com a programação e com o nível dos espetáculos propostos, o que demonstra o diferencial do teatro na ilha de São Vicente, com presença cada vez mais crescente de grupos e um sinal de grande dinâmica das artes cénicas na ilha”, lançou João Branco.

Os espetáculos vão decorrer nas ruas, nas praças e nas escolas de São Vicente, mas também na ALAIM e no Centro Cultural do Mindelo, e culminam no dia 27 de março, Dia Mundial do Teatro, com a entrega do Prémio de Mérito Teatral, sendo distinguida, este ano, a atriz Elisabete Gonçalves.

“Março – Mês do Teatro” foi Institucionalizado em 2000, mas o Dia Mundial do Teatro foi comemorado pela primeira vez em Cabo Verde em 1999, em São Vicente, o primeiro ano em que foi entregue o Prémio de Mérito Teatral, então ao falecido investigador na área do teatro Mário Matos e ao Grupo Juventude em Marcha.

O prémio, todos os anos, homenageia grupos, figuras, empresas ou instituições que se destaquem pelo apoio e contribuição para o desenvolvimento das artes cénicas.

Tem como objetivo principal servir de incentivo para aqueles que, de uma forma ou de outra, tem contribuído para o melhoramento do teatro cabo-verdiano.

De 1999 a esta parte foram premiados, entre outros, Juventude em Marcha (produção teatral), Mário Matos (investigação) Centro Cultural Português do Mindelo – IC, Francisco Fragoso (encenação) Escola Salesiana de Artes e Ofícios, jornal A Semana e a Rádio de Cabo Verde (promoção) Público do Mindelo, Cine-Teatro Éden Park (infraestrutura), Grupo Otaca, Banco Comercial do Atlântico e os artistas Luísa Queirós e César Fortes.