A equipa que deverá permanecer na ilha numa missão de três dias, no âmbito do Programa de Reabilitação, Requalificação e acessibilidade (PRAA), conta com o apoio de especialistas portugueses, nomeadamente a engenheira Ana Velosa, da Universidade de Aveiro, o arquiteto Gabriel, Andrade, da Direção-Geral do Património de Portugal, além do arquiteto do IPC, Adalberto Tavares.

Conforme apurou a Inforpress, esta participação se insere no quadro de um protocolo de colaboração entre o IPC e a Universidade de Aveiro que visa a prestação de apoio técnico para a reabilitação de edifícios históricos e formação técnica a Cabo Verde.

Depois de uma primeira deslocação às salinas de Pedra de Lume, a engenheira Ana Velosa disse que foi um privilégio visitar um património “muitíssimo especial” que se enquadra dentro daquilo que se designa de património industrial.

“Da experiência vasta que tenho nesta área do património, posso dizer que têm aqui algo com muito valor, que depois de ser reabilitado, integrado… a nível turístico será um património relevante, mesmo ao nível de todo o património de Cabo Verde”, frisou.

Ana Velosa considerou que o importante desta missão é ter todo um trabalho de levantamento, inspeção e de ensaio, que sirva como base para uma reabilitação qualificada do património, que é importante começar a se implementar no país.

A mesma fonte, informou, por outro lado, que esta colaboração entre o IPC e a Universidade de Aveiro já deu resultados tanto no terreno, ao nível das obras da igreja de Nossa Senhora do Rosário, que vão começar na Cidade Velha, como ao nível da publicação que vai ser apresentada na Cidade do Porto sobre o trabalho efetuado entre as duas partes.