Segundo informação partilhada no blog da editora, este projecto de tradução, feito pelo escritor cabo-verdiano Filinto Elísio, teve apoio da Direção-geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas de Portugal.

A tradução deste livro de 88 páginas, e de género poética, foi supervisionado pelo estudioso da língua crioula Marciano Moreira.

“Bedjus tanbe kre vive” (Os velhos também querem viver, em português), traz a reescrita da tragédia “Alceste”, de Eurípides, situando-a em Sarajevo, durante o cerco que esta cidade sofre por parte do exército sérvio (1992 a 1996).

Com este livro, Gonçalo Tavares mostra a “assustadora” actualidade do texto do poeta trágico grego, que viveu há́ 25 séculos, e discute a morte e o desejo de viver.

Gonçalo M. Tavares nasceu em 1970. Desde 2001 publicou livros em diferentes géneros literários.

Os seus 40 livros estão traduzidos um pouco por todo o mundo e receberam vários prémios nacionais e internacionais, como Portugal Telecom (2007 e 2011); Internazionale Trieste (2008); Belgrado (2009); Prix du Meuilleur Livre Étranger (2010); Prix Littéraire Européen (2011) e Grand Prix Littéraire du Web – Culture (2019). Foi por diversas vezes finalista do Prix Médicis e Prix Femina.

Os seus livros deram origem, em diferentes países, a peças de teatro, dança, peças radiofónicas, curtas-metragens e objectos de artes plásticas, vídeos de arte, ópera, performances, projectos de arquitetura e teses académicas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.