Na residência artística, o músico, compositor e produtor musical sueco Emanuel Sonka, a fotógrafa angolana Laila Évora e o bailarino cabo-verdiano Nuno Barreto vão partilhar as suas experiências com as pessoas dessa localidade.

Em entrevista à Inforpress por telefone,  a integrante e encenadora do Colectivo de Artistas Projecto Chiquinho, Sara Estrela, explicou que a apresentação em Carriçal está inserida nos objectivos de descentralizar actividades artísticas para a periferia da cidade da Ribeira Brava.

“Vão pintar um mural, dar aulas de dança e fazer tocatinas graças ao apoio de um parceiro que conseguimos mobilizar,” lançou a mesma fonte.

Segundo Sara Estrela, apesar das dificuldades de transporte, após o arranque do projecto conseguiram superar os objectivos, principalmente na mobilização de parceiros, o que lhes possibilitou levar as actividades do para Cachaço, Caleijão e agora Carriçal.

“As pessoas estão a receber o projecto muito bem e o efeito que queríamos era internacionalizar a arte cabo-verdiana, trazendo artistas de fora para compartilhar com cabo-verdianos,” acrescentou.

Na localidade de Cachaço, adiantou a mesma fonte, surgiu uma parceria entre Emanuel Sonka e o grupo Pê na Txon (Pé no Chão), que trabalha no resgate e divulgação da contra-dança.

A ideia é levar o grupo para fora da ilha para fazer apresentações de forma a preservar este estilo de dança tradicional cabo-verdiana, avança Sara Estrela.

O encerramento do “Stanxa Centro Criativo” acontece no dia 15 de Setembro com uma apresentação pública, projecção de fotos, música, dança e apresentação de peças do núcleo teatral do Projecto Chiquinho.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.