Em entrevista exclusiva à Inforpress, a propósito da política da edilidade salvadorenha para o sector da cultura, Ângelo Vaz assegurou que as obras vão arrancar ainda este ano, até porque, sustentou, já têm o montante que vai permitir transformar o mercado municipal de Achada Igreja, num centro cultural denominado “Mercado da Cultura”.

O projecto, financiado pelo Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas (3.000 contos), no âmbito do programa “1 Auditório por 1 Município”, e, através do Fundo do Turismo (15.000 contos), totalizando um montante de 18 mil contos, segundo o edil, já faz muita falta, tendo em conta que o município também considera a cultura um “sector muito importante”.

“(…) São 18 mil contos que vamos investir na remodelação e na criação de um centro cultural em Achada Igreja, para permitir que, de facto, os nossos artistas desde os artesãos, os músicos, e pessoas que laboram nesses sectores possam ocupar um espaço tanto de produção, como de exposição e, eventualmente, também de venda e espaços para espectáculos e eventos culturais de grande envergadura”, explicou Ângelo Vaz.

Associado a este projecto, informou que a edilidade vai montar uma Biblioteca Municipal para permitir que os jovens salvadorenhos tenham um “espaço digno” de leitura, tendo em conta que, segundo ele, “hoje está-se a perder o hábito pela leitura”.

Daí, pretendem resgatar essa prática com criação de um “espaço digno de leitura”, que, no seu entender, é “fundamentar” para que os jovens do município possam pesquisar, consultar e também exercitarem a sua mente e sua inteligência.

Ângelo Vaz lembrou ainda que a câmara tem trazido para os Picos “grandes eventos” com destaque para exposições de artes, conferências com oradores de renome nacional e de várias áreas (universidades, cultura e politica), com o propósito de se chegar ao “âmago” da história e cultura salvadorenha.

Por outro lado, destacou a “conclusão, com êxito”, recentemente da formação de várias crianças a nível de música, tendo congratulado com o facto da escola de música dos Picos ter muita procura de crianças que querem dar início ao curso de música naquela escola que já formou uma leva de criança.

A Câmara Municipal, em parceria com o Ministério da Cultura e Indústrias Criativas, conforme lembrou, desenvolveu um programa, onde trouxe monitores e fez aquisição de equipamentos musicais, que, segundo o autarca permitiu que hoje dezenas de crianças e adolescentes tivessem o contacto com instrumentos musicais.

No entender de Ângelo Vaz, estas crianças e adolescentes que já dão contributos em coros das igrejas já estão num “nível razoável” e que podem, por si só, continuar a evoluir a nível da música.

Para os próximos tempos, além do alargamento das aulas de música para crianças de todo município, avançou ainda que pretendem continuar a trazer para os Picos “grande eventos”, sobretudo, no que diz respeito à exposição de artes visando dar aos jovens e adultos a “facilidade” de terem contacto com o “mundo da cultura ao mais alto nível.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.