Abraão Vicente fez este anúncio à imprensa, à margem da cerimónia da entrega de 50 livros impressos em Braille – “Sereia Mánina e Seus Sapatos Vermelhos” – à Associação dos Deficientes Visuais de Cabo Verde (ADEVIC)

Conforme explicou, a ideia é fazer de facto o empoderamento dessa comunidade de pessoas com portadoras de deficiência visual, de forma a terem acesso à literatura universal.

Ajuntou que há potencial nas pessoas invisuais ou portadoras de algum tipo de deficiência e para isso é necessário criar os meios e os recursos para terem acesso àquilo que sociedade pode lhes dar.

Segundo Abraão Vicente, além desta oferta, o objectivo é também capacitar a associação para que possa produzir, por ele mesmo, livros de contos e tudo aquilo que é a literatura infanto-juvenil cabo-verdiana, para uma literatura acessível.

Por sua vez, o presidente da ADEVIC, Marciano Monteiro, mostrou-se satisfeito com esta iniciativa, apontando ganhos para os alunos que frequentam a escola interna da organização nos ensinamentos de Braille.

Revelou ser importante que as pessoas com deficiência tenham acesso aos livros, apelando ao mesmo tempo que iniciativas do género devem fazer escola, no sentido de maior promoção á inclusão de todos.

“A Sereia Mánina e seus sapatos vermelhos”, o mais recente livro infantil da escritora e cantora Celina Pereira, em formato impresso e áudio, está impresso também no formato Braille.

Este novo livro infantil da cantora e contadora de histórias cabo-verdiana residente nas terras lusas está escrita nas línguas portuguesa, crioula e no sistema Braille, sendo que este lançamento contou com a iniciativa do Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas, numa parceria com o Grupo de Comunicação Novembro e a Embaixada de Cabo Verde em Portugal.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.