“Queremos formalizar a academia, criando seu estatuto, aprovado e publicado no Boletim Oficial, conseguir um orçamento de funcionamento que corresponda às expectativas da própria planificação pedagógica que temos aqui na academia”, anunciou.

Abraão Vicente fez estas considerações após visitar a oficina de Verão para as crianças na Cesária Évora Academia de Arte, na Cidade da Praia, no âmbito das férias criativas levado a cabo pelo Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas.

O governante esclareceu que a formalização da academia está pendente da inclusão de uma verba fixa para o Orçamento de 2019, situação também que tem impedido o seu alargamento às outras ilhas.

“Neste momento, infelizmente, não conseguimos uma verba fixa no Orçamento de Estado para 2019. Então este processo de alargamento está dependente disso. Por outro lado, nós queremos primeiro consolidar a academia aqui na Praia e posteriormente criar as condições necessárias para outras ilhas”, sustentou.

O ministro informou ainda, que todo o trabalho no que tange à aquisição de instrumentos tem sido feito, mas conforme explicou, há alguma carência de professores formados para entrarem no quadro.

Referindo-se às férias criativas, promovidas pelo seu ministério, Abraão Vicente garante que “faz todo sentido” esta iniciativa, visto que, mais do que simples férias para as crianças, “está-se a introduzir a cultura da educação artística” aos mais novos.