A peça, da autoria do Grupo de Teatro do Centro Cultural Português do Mindelo, foi, inicialmente, coproduzida, em 1996, com o Teatro Meridional, de Portugal e com a direção artística de Miguel Seabra, que esteve em residência artística no Mindelo.

Um espetáculo, em que, como classificou o escritor João Vário, em 1999, “reina a fina ironia, o silêncio, a subtileza e a comicidade”.

“Este é um espetáculo teatral tão completo e, ao mesmo tempo, tão sóbrio; tão belo e, ao mesmo tempo, tão austero; tão recapitulativo em termos estético-teatrais e, ao mesmo tempo, tão enxuto e tão articulado; tão narrativo e, ao mesmo tempo, tão elíptico; tão evasivo e, ao mesmo tempo, tão pleno, tão redondo”, descreveu o falecido escritor.

O Cloun Creolus Dei haveria de ser reposto, com um elenco diferente, em 2002 e 2004.

Agora em 2018, teve uma “re-estreia” no mês de julho, enquadrado no Mindel Art Festival (MAF) e também para assinalar os 25 anos do grupo e agora vai ser apresentado hoje no Festival Internacional de Teatro do Mindelo –  Mindelact com um elenco constituído por Edson Fortes, Gabriel Reis, João Branco e Renato Lopes.

Já no Centro Cultural do Mindelo (CCM) nesta quarta-feira entra em cena o “Kriol K” do marroquino Khalid K, uma encenação musical de imagens ambientais, retratos e textos coletados durante uma residência artística que o ator viveu por 30 dias em Cabo Verde a convite da própria Associação Mindelact.

“Um artista sozinho no palco construindo ao vivo mundos musicais e sonoros inspirados na cidade e no povo do Mindelo”, como se pode ler na nota de produção, que diz ser “provável” a participação do público, assim como as “surpresas e emoções”.

Khalid K é cantor polifónico, músico, compositor, ator e performance, que desde 2006 já participou em mais de 400 festivais na França e no exterior.

Ainda hoje e no CCM haverá a presentação, às 20:30, da performance “(In)visibilidade”, do brasileiro Rafael Barros, nesta noite que se fecha com o “festival off” com “Sodad d´um ilha” de Milanka Vera-Cruz de São Vicente.