Depois de ter praticamente desaparecido da vida pública em 2005 por causa do julgamento em que era acusado de ter abusado sexualmente de uma adolescente, o cantor cinquentenário tinha anunciado em março de 2009 o seu regresso aos palcos, num concerto em Londres, no verão.

Dotado de uma voz inconfundível, Jackson tinha sido bailarino e já aos dez anos o seu talento era reconhecido, embora só mais tarde tivesse conquistado o estatuto de estrela mundial. E o seu desaparecimento foi precoce - o músico morreu a 25 de junho de 2009.

No dia em que faria 60 anos, recorde por onde paira a sombra do rei da pop.

Depois da morte, Michael Jackson continua muito presente

Vida de Michael Jackson chega ao cinema contada por chimpanz

Um argumento sobre a vida de Michael Jackson, contada pelo ponto de vista do seu chimpanzé de estimação, visto como um dos mais originais a circular por Hollywood, vai ser adaptado ao cinema e deverá estrear na Netflix, segundo as últimas informações reveladas.

Os direitos de "Bubbles" foram adquiridos pela Starburns, que fez sensação nos Óscares com "Anomalisa", uma animação em 'stop-motion' para adultos realizada por Duke Johnson e Charlie Kaufman.

A mesma técnica será usada neste projeto. "Um bebé chimpanzé é adotado pela estrela pop Michael Jackson. Narrando a sua própria história, Bubbles, o Chimpanzé, relata a sua vida dentro do círculo íntimo do Rei do Pop através dos escândalos que mais tarde atingiram a vida de Jackson e eventualmente levaram à libertação de Bubbles", pode ler-se na sinopse do filme.

Vida de Michael Jackson vai ser transformada em musical da Broadway

O musical, que é coproduzido por quem gere o património do falecido rei do pop, será escrito por Lynn Nottage, vencedor do Prémio Pulitzer por duas vezes.

Vida de Michael Jackson vai ser transformada em musical da Broadway

Nottage, professor do Departamento de Teatro da Universidade de Columbia, foi recentemente aclamado por "Sweat", uma peça sobre uma cidade operária da Pensilvânia que vê o surgimento de tensões étnicas com os imigrantes à medida que os empregos industriais desaparecem.

A peça, para a qual Nottage viajou à Pensilvânia para fazer pesquisa em primeira mão, estreou em 2015 e mais tarde foi vista como um olhar precursor sobre as pessoas que votaram no presidente Donald Trump.

O musical sobre Michael Jackson vai incorporar a sua música e terá coreografia de Christopher Wheeldon, um nome proeminente no balett.

Wheeldon escreveu trabalhos originais para o Royal Ballet em Londres baseado em "As Aventuras de Alice no País das Maravilhas", de Lewis Carroll, e "O Conto de Inverno", de Shakespeare.

Em Nova Iorque, Wheeldon escreveu um balett e um musical baseados em "Um americano em Paris", filme de 1951 com Gene Kelly inspirado na música de George Gershwin.

Resta saber como o próximo musical irá retratar Michael Jackson, que, em grande parte, tem sido visto como uma figura trágica desde a sua morte em 2009, embora o envolvimento de quem gere o seu património aumente as expectativas de que o trabalho se concentrará nas partes positivas

 Michael Jackson no álbum de Drake

Quase 10 anos depois da sua morte, Michael Jackson voltou a aparecer num novo álbum, "Scorpion", do rapper Drake. No quinto álbum de estúdio de Drake, editado, a voz do "Rei da Pop" pode ser ouvida no coro da canção "Don't Matter to Me".

Michael Jackson faz aparição póstuma no novo álbum de Drake

"Suddenly, you say you do not want me anymore / All of a sudden, you say I closed the door / I do not care", canta Michael Jackson. O tema pode ser ouvido aqui.

Drake não deu detalhes de como a canção foi produzida, embora se saiba que Michael Jackson tinha várias gravações por terminar quando morreu, em 2009.

O cantor já tinha sido ouvido num dueto com Justin Timberlake em 2014, no single "Love Never Felt So Good".

Assim como em "Don't Matter to Me", esta canção aparece com os créditos do cantor Paul Anka, autor de "Put Your Head On My Shoulder", álbum no qual Jackson e Anka trabalharam juntos em 1983. O projeto foi colocado de lado após o sucesso de "Thriller", que se tornaria o álbum mais vendido da história.

Viagem de Michael Jackson, Elizabeth Taylor e Marlon Brando na TV

Em setembro de 2001, depois dos ataques às Torres Gémeas nos Estados Unidos, Michael Jackson, Elizabeth Taylor e Marlon Brando, com o espaço aéreo fechado, tentaram regressar a casa de carro. A viagem entre Nova Iorque e Ohio foi contada pela Vanity Fair em 2011 e chegou, em janeiro de 2018, ao pequeno ecrã pelas mãos do canal Sky Arts.

Michael Jackson

Joseph Fiennes foi o escolhido para dar corpo a Michael Jackson no telefilme, escolha invulgar que fez correr muita tinta. O ator britânico é conhecido por ter participado em séries como "American Horror Story" e "FlashForward" e por ter interpretado William Shakespeare no filme "A Paixão de Shakespeare".

Vida de Michael Jackson chega à televisão

O livro “Before You Judge Me: The Triumph and Tragedy of Michael Jackson's Last Days”, lançado 2016, que conta as últimas 16 semanas de vida de Michael Jackson, vai ser a base para uma nova série de Tavis Smiley.

O apresentador do talk-show “The Tavis Smiley Show” assinou contrato com a Warner Bros. Television e, segundo o Entertainment Weekly, a série sobre o rei da música pop será o seu primeiro projeto.

A aposta será produzida pela The Smiley Group em parceria com a Warner Bros.

Uma carreira de topo, uma vida atribulada

Desde os anos 1980 que o enigmático Michael Jackson mostrava sinais físicos e comportamentais estranhos, pelo que, além de ser um fenómeno musical, o cantor passa a ser também um fenómeno humano.

Michael Jackson nasceu a 29 de agosto de 1958 numa família negra de origem pobre, em Gary, no estado do Indiana, no norte dos Estados Unidos.

O seu pai era mineiro e a mãe trabalhava numa revista. O casal tinha nove filhos.

Em 1979, o produtor Quincy Jones supervisiona o seu primeiro disco a solo, "Off the Wall", em que participa Stevie Wonder e Paul McCartney, um disco que continuava a ter sucesso mesmo depois de 15 anos.

Michael Jackson bateu o recorde mundial de vendas com o seu álbum "Thriller", em 1982, com mais de 50 milhões de exemplares vendidos, seguindo-se outros dois sucessos musicais: "Bad" (1987) e "Dangerous" (1991).

É nesta altura que o físico do cantor começa também a transformar-se, com a sua pele a ficar cada vez mais clara e o seu nariz cada vez mais fino.

No entanto, Jackson nega qualquer cirurgia, explicando a brancura da sua pele com a sua doença, vitiligo.

Michael Jackson transforma um rancho californiano em residência e parque de atracções a que deu o nome de "Neverland", em homenagem ao seu ídolo, Peter Pan, a criança que não se torna adulta.

Em 1993, esta imagem excêntrica passa para segundo plano quando vem a público uma denúncia de um jovem de 13 anos que afirma ter sido vítima de abuso sexual por Jackson.

Documentos que revelam lado obscuro de Michael Jackson voltam

O cantor foi considerado inocente e recebeu uma indemnização de cerca de 23,3 milhões de dólares, uma quantia pouco significativa em relação à sua fortuna estimada em cerca de 600 milhões de dólares.

Em 1994, Michael Jackson casa com a filha de Elvis Presley, Lisa Marie Presley, o que foi uma surpresa.

No ano seguinte é editado "HIStory", um disco anunciado como o regresso da estrela da pop mas que se revelou um fracasso.

Jackson e Lisa Presley divorciam-se e, em 1996, o cantor volta a casar com Debbie Rowe, enfermeira australiana com a qual teve dois filhos, Prince Michael Jr e Paris Michael Katherine, divorciando-se novamente em 1999.

Em 2002, nasce o seu terceiro filho, Prince Michael II.

O álbum "Invincible", que sai em Outubro de 2001, revela-se também um sucesso.

Em 2003, num documentário britânico, o cantor afirma que gostava de dormir com rapazes jovens, com "toda a inocência", um escândalo que mancha a sua imagem, mesmo com a sua absolvição em Junho de 2005 pela acusação de abuso sexual de menores.

Entretanto, a fortuna da estrela musical emagrece em 2006, altura em Michael Jackson oferece à Sony a oportunidade de comprar metade do seu catálogo musical para pagar uma dívida de cerca de 170 milhões de dólares.

Depois da desgraça financeira, Jackson tinha conseguido a anulação da venda dos seus objetos pessoais que devia ser organizada pela leiloeira Julien's, na Califórnia.

Em 2009, o mundo parou para se despedir do rei da pop.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.