Mário Silva, que falava a propósito do lançamento do nº 6 da revista “Leitura”, afirmou que o livro as revistas e os jornais são veículos “importantíssimos de acesso ao conhecimento”, mesmo nesta era em que se destaca a importância também da Internet.

“A Internet exige que as pessoas saibam ler, no sentido amplo da palavra, ler interpretar, e perceber a mensagem”, explicou Mário Silva para quem a aposta no livro e na literatura deve ser reforçada com uma política mais robusta do livro e da leitura.

Apesar de sustentar que essa questão “tem sido um ponto fraco do país”, Mário Silva reconhece o anuncio do Governo em criar o Plano Nacional do Livro e da Leitura que, na sua ótica, vai dar “um grande contributo” nesta área.

Sobre a revista Leitura, Mário Silva avançou que se trata de um magazine que tem foco sobretudo na leitura e na cultura. No caso deste nº 6, que estará hoje nas prateleiras, traz na capa David Hopffer Almada, que é presidente da Academia de Letras e escritor e faz um apanhado sobre a atividade de criação literária, do seu percurso e dos cargos que exerceu a nível do dirigismo literário.

Outra novidade é uma reportagem sobre o “Passaporte Literário”, uma iniciativa do Centro Cultural Brasil-Cabo Verde e que visa aproximar a literatura cabo-verdiana da literatura brasileira tal como no passado.

Para além desta reportagem, segundo Mário Silva, o número 6 da revista “Leitura” revela um trabalho com o escritor e professor de comunicação audiovisual Mário Almeida sobre o seu livro “O Audiovisual em Cabo Verde”.

Traz também textos de Manuel Veiga sobre a poesia de Amílcar Cabral, uma página dedicada aos mais novos, que versa sobre a literatura infantojuvenil, um texto da designer e ativista cultural Inês Ramos, que, além de divulgar a poesia em Cabo Verde escreve sobre poesia visual.

Esta edição da revista revela também informações sobre vários livros publicados pela Livraria Pedro Cardoso e outras editoras e um texto de reflexão do professor de Filosofia na Universidade de Cabo Verde, Carlos Bellino Sacadura, sobre “Literatura e Filosofia, Divergências e Afinidades”.

O leitor poderá encontrar ainda uma recensão sobre o livro “Diário”, de António Pedro, que foi um escritor modernista e que foi publicado em 1929 na Praia, pela Imprensa Nacional, em dezembro.

“Nós queremos assinalar o nonagésimo aniversário do livro publicando de novo o livro aqui em Cabo Verde”, garantiu Mário Silva adiantando que já se está a preparar o nº 7 da revista, uma vez que “um dos pontos fortes tem sido a sua regularidade.”

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.