Em declarações à Inforpress, revelou que o livro é uma forma de mostrar a importância do Sol para a humanidade, uma vez que todos os dias fecunda a terra e fornece vitamina E à pele.

“O Sol tem uma função vital na humanidade e, por outro lado, ilumina a terra. Eu gostaria de ver uma campanha um dia para a sua preservação porque um dia ouvi um cientista dizer que ele é como um cigarro, um dia pode desaparecer e se desaparecer não há fecundação da terra, não há iluminação, não há nada. O Sol é vida”, concretizou.

Editado sob a chancela da Sociedade Cabo-verdianos dos Autores (SOCA), o livro, cujo prefácio foi escrito por Daniel Medina, é constituído por 37 poemas, integrado em quatro capítulos “ Espermas do Sol”, “A voz Anoitecidas”, “A ilha”, “Apenas um sopro me detém”.

“Espermas de Sol”, informou, será apresentado em meados de Julho na Cidade da Praia, São Nicolau, São Vicente, Santa Catarina e Fogo.

Para além deste livro, António Silva Roque avançou à Inforpress que tem na forja e pronto para ser editado o seu próximo livro com o título “A Lâmpada do Céu”.

Conforme disse, esta será uma colectânea de todas as entrevistas feitas por ele, enquanto jornalista da Rádio de Cabo Verde.“Anu Nobo, Manuel de Novas, Ildo Lobo, Zezé e Zeca di nha Reinalda, Djila e Bana, são alguns nomes que me recordo de momento, mas são uma centena de entrevistas. O livro deverá sair ainda este ano”, anunciou.

António Silva Roque é quadro da RTC e como poeta já participou em várias antologias, como “Antologia Poeta de Açores”, e “Contra Antologia no Brasil”, entre outros.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.