A informação foi avançada hoje pelo presidente do grupo, Sabino Baessa, em declarações à Inforpress, à margem workshop “O olhar da sociedade civil sobre a situação da criança vulnerável em Cabo Verde”, um evento promovido pela ACRIDES.

Segundo este responsável, o convite para a participação do grupo na 8ª edição do festival de Sintra foi feito pelo grupo português que gostou da peça durante a realização do Festival Internacional do Atlântico, promovida pelo Fladu Fla, em outubro do ano passado, na Cidade da Praia

“Fladu fla vai levar a peça “menos um”, que é uma adaptação da obra “Contra Mar e Vento”, de Teixeira de Sousa, é a peça que foi selecionada para representar Cabo Verde na semana da lusofonia em Macau e foi calorosamente aplaudida”, disse, adiantando, por outro lado, que para 2019, o grupo tem agendado uma série de participações a nível internacional, nomeadamente no Brasil, Angola e Egito.

As participações do Fladu Fla nos eventos internacionais, para Sabino Baessa é o resultado da meta traçada e dos objetivos delineados pelo grupo ao longo dos anos, que conforme lembrou, desde sempre trabalhou primando sempre pela qualidade.

“O nosso objetivo é trabalhar a identidade cultural cabo-verdiana, mas com caráter universal que, em termos de qualidade técnica, é equiparada a uma produção internacional e Fladu Fla segue a linha do dramaturgo “Anu Nobu” e Francisco Fragoso”, afirmou, realçando que o referido grupo está a trabalhar nessa linha por entender que no mundo da globalização “o que valoriza uma nação é a sua singularidade cultural”.

Nesta edição, o festival começa com os Impro Ensemble, um espetáculo no qual todo o elenco nacional e internacional do Espontâneo se une em palco, para improvisar um trabalho dirigido e proposto por um convidado internacional.

Os ensembles da edição 2019 do festival são dirigidos por Mico Pugliares (Itália), Kaspars Breidaks (Letónia) e Keng Sam (Ilha da Reunião) e contam com a participação dos Instantâneos e dos Improváveis, grupos portugueses de teatro do improviso.

A edição deste ano do Espontâneo decorre no auditório Acácio Barreiros, do Centro Cultural Olga Cadaval.

A Companhia de Teatro “Fladu Fla” foi criada em 2002. Durante esse tempo, já apresentou 15 peças, das quais se destacam “Homem, Eterno Prisioneiro”, “Jornada di un Badiu”, “Profisia di Kriolu”, “Sexta-feira 13” e “Dualidade Universal”.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.