A curadora da Biblioteca Nacional de Cabo Verde (BNCV), Adelaide Monteiro, disse hoje que o “grande desafio” desta instituição é, neste momento, finalizar o seu portal e colocar disponibilizar na Internet o seu acervo.

Adelaide Monteiro fez essas declarações após o acto de abertura da exposição alusiva ao 20º aniversário da Biblioteca Nacional, presidido pelo ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, no hall de entrada deste estabelecimento, na Cidade da Praia.

“O nosso grande desafio é neste momento finalizar o nosso portal e colocar o nosso acervo online”, disse aquela responsável em declarações aos jornalistas, frisando, entretanto, que a BNCV tem em mãos o Plano Nacional de leitura, que no segundo semestre vai começar a ser implementado.

Adelaide Monteiro disse ainda que a digitalização e disponibilização do acervo não só servirá para garantir o estado da conservação do acervo físico, mas também para se chegar além, sobretudo à diáspora, aos investigadores já que, conforme disse, Cabo Verde, neste momento, tem tudo por explorar.

Falando sobre os 20 anos da Biblioteca Nacional e sobre a exposição hoje inaugurada, a sua curadora explicou que quiseram fazer uma visita a história da biblioteca, até porque, disse, as vezes isso é necessário.

“Porque quando chegamos a uma data redonda é preciso depois ver como é que vamos continuar e também o que é que vamos deixar. O que é que daqui a 20 anos vai estar aqui na exposição”, justificou.

Quanto ao conteúdo da exposição, Adelaide Monteiro falou, de entre outros, em amostras das publicações da Biblioteca Nacional ao longo desses 20 anos, parte da livraria e o artesanato de Cabo Verde.

“Temos aqui fotos das primeiras feiras de livros organizadas pela Biblioteca Nacional com o apoio de Portugal, Brasil. Aliás, a história da biblioteca, para além de toda a parceria nacional, arrancou, sobretudo, graças a parceiros externos Portugal, Brasil, Espanha e claro, a Embaixada da China que cedeu o edifício e continua a garantir a sua manutenção”, acrescentou.

A curadora da BNCV fez saber que há sempre no espaço alunos dos ensinos básico e secundário para não só visitar, mas também participar em actividades interactivas, secções de conto de histórias, dinamização de leitura, dentre várias actividades culturais.

A média de publicação da biblioteca ao longo desses anos é, conforme informou aquela responsável, mais ou menos três ou quatro livros por ano.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.