Esta posição foi manifestada à imprensa pelo ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, durante a cerimónia formal do descerramento da placa para o arranque da obra de requalificação da via de ligação entre a Sé Catedral e o Forte de São Filipe.

Com prazo de execução de três meses, a obra esta projectada para “dar importância” às requalificações e pesquisas de âmbito histórico, antropológico, etnográfico e museográfico.

O governante ajuntou esta construção à da requalificação da Igreja Nossa Senhora do Rosário, a ser concluído em Janeiro, para que, em Março/Abril, a Cidade Velha possa estar recuperada em grande medida, mediante a ligação ao Forte de São Filipe, “com condições dignas não só à população residente, mas também aos turistas”.

“Há que continuar a fazer o trabalho de investigação”, realçou o ministro, que disse esperar não ter “grandes surpresas” durante as obras de requalificação, que o mesmo classifica de estruturante e que vai ao encontro dos trabalhos da reestruturação do Sítio Histórico da Cidade Velha.

Coordenada pelo Instituto de Património Cultural (IPC), de forma defender o Património Mundial, o governante pediu a responsabilidade da população para sua consciencialização no capítulo do saneamento.

Disse, contudo, que cabe à autarquia e ao Governo criar as condições para dotar o município de instrumentos urbanos, como depósito e recolha atempada de lixo, numa localidade marcada por prática rurais e micro agricultura.

Enquanto isto, o presidente substituto da Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago, Silvano Barros, considerou que esta obra vai “aumentar o ego” dos ribeiragrandenses e dos munícipes da Cidade Velha, em particular, ressalvando que ocorre, na prática, a requalificação da Cidade Velha, enquanto Património Mundial.

Silvano Barros destacou a importância desta obra para facilitar a acessibilidade e a mobilidade, com argumento de que este investimento vai melhorar o nível de calcetamento com impacto directamente junto das habitações deste Património Mundial da Unesco.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.