Segundo uma nota de imprensa enviada à Inforpress, o fotógrafo português esteve numa missão em Cabo Verde de 24 de Julho a 14 de Agosto de 2018, no âmbito do projecto CONCHA, da Cátedra UNESCO – “O Património Cultural dos Oceanos” acolhido pelo Instituto do Património Cultural (IPC).

Esta missão teve como objectivo explorar visualmente as paisagens marítimas das ilhas de São Vicente e de Santiago.

O projecto CONCHA da Cátedra UNESCO visa desenvolver conhecimentos históricos e patrimoniais, no domínio da investigação, salvaguarda e valorização do legado subaquático.

Com a duração de três anos, o projecto CONCHA explica as diferentes formas pelas quais as cidades portuárias se desenvolveram em torno da borda do Atlântico no final do século XV e início do século XVI em relação aos diferentes ambientes ecológicos e económicos globais, regionais e locais.

Para além de organizar oficinas académicas e publicações, o projecto pretende educar, envolvendo o público em pesquisas históricas com uma série de conferências e exposições e auxiliando as instituições públicas no desenvolvimento da conservação do património e do turismo.

Cabo Verde integra o projecto CONCHA, através do Instituto do Património Cultural (IPC), juntamente com a Universidade Pablo de Olavide, Old Dominion University, Observatório do Mar dos Açores, (OMA) – Trinity College Dublin Global, Associação para as Ciências do Mar, Universidade do Norte Mar, Ambiente e Pesca Artesanal, Universidade Federal de Sergipe e Eveha International.

Em Cabo Verde, o projecto iniciou-se em Abril de 2018 com o primeiro mergulho em arqueologia subaquática no ancoradouro da Baia da Cidade Velha, seguindo-se para a Urânia (Baía do Ilhéu de Santa Maria), e baia de São Francisco, onde se fez a georreferenciação do local.

Na segunda fase, que decorreu em Agosto do mesmo ano, contemplou-se mergulho e escavação subaquática, recolha e análises de peças.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.