Em conferência de imprensa Jorge Nogueira anunciou a deliberação saída da reunião realizada quarta-feira de suspender as actividades relacionadas com a Bandeira de São Filipe e do dia do município, cujo ponto alto decorre entre 25 de Abril e 01 de Maio devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

O cancelamento das festas representa um prejuízo enorme para o município, para a ilha e sobretudo para as famílias e todos têm uma noção exacta daquilo que as festas representam para a economia da ilha, mas para preservar a situação e evitar custos com o combate em caso de surgimento de algum caso, o mínimo que se pode fazer era suspender as festas apesar do seu peso na economia.

A autarquia, segundo o mesmo, congratulou-se com a aprovação do plano de contingência e com o conjunto de outras medidas já aprovadas e em curso e apela a todos a cumprirem rigorosamente essas medidas e as instruções que são dadas, sobretudo pelas autoridades sanitárias.

“As festas do dia do município de São Filipe e da Bandeira trazem milhares de pessoas, visitantes, artistas de países já contaminados e cujas populações estão cumprindo programas especiais de combate e prevenção”, frisou Jorge Nogueira, adiantando que tendo em conta que Cabo Verde não tem, felizmente, nenhum caso do novo coronavírus, e depois de analisado a situação esta autarquia deliberou “cancelar todas as actividades respeitantes às festas do município e da Bandeira de São Filipe.

Para a prevenção, avançou, todos os sacrifícios são úteis e bons para manter a saúde e a vida da população, sublinhando que a instituição camarária irá acompanhar o desenrolar dos acontecimentos e tomar as medidas que vierem a ser consideradas convenientes.

Mas tratando de tradições e em diálogo com os festeiros e com a Casa das Bandeiras, depois de ouvidas as autoridades sanitárias, uma ou outra actividade poderá, eventualmente, ser realizada com uma participação mínima de pessoas para assinalar o dia de São Filipe, evitando assim o enterro da bandeira.

Jorge Nogueira fez questão de sublinhar que a possível realização de algumas actividades terá de ser de uma forma bem mais restrita, descartando, por exemplo, a realização do pilão que envolve grande aglomeração de pessoas, mas admite actividades como a passagem da bandeira, a celebração da missa no dia 01 de Maio com um número reduzido, entre 10 a 15 pessoas,  três ou quatro tamboreiros e igual número de coladeiras numa volta pela cidade apenas no dia de São Filipe e para  assinalar esta manifestação.

“São coisas mínimas, mas ainda não decididas e a câmara vai acompanhar a situação para eventualmente poder decidir pela realização destas actividades ainda não aprovadas e que vai depender da evolução da situação no concelho”, asseverou o presidente Jorge Nogueira.

A câmara apela à calma e tranquilidade da população, respeitar as regras de higiene e evitar sempre que possível os locais com grande aglomeração de pessoas lembrando que todos os sacrifícios devem existir para evitar casos do novo coronavírus.

Neste momento, além do cancelamento das festas, a autarquia suspendeu o licenciamento de quaisquer actividades culturais e outras que levam à aglomeração de pessoas e inclusive todos os actos de inauguração e lançamento de obras previstos para o final de semana e para os próximos dias foram cancelados, assim como a visita do primeiro-ministro e do ministro do Desportos, inicialmente previsto para este fim-de-semana, para o lançamento da obra de requalificação do centro histórico e inauguração de oito projectos finalizados.

Quanto à possível ocorrência de açambarcamento, este avançou que não há nenhuma denúncia até este momento, mas que apesar disso a autarquia recebeu uma nota da Inspecção Geral das Actividades Económicas (IGAE) que vai enviar um técnico para, juntamente com os fiscais da câmara, proceder a vistoria e todo o acompanhamento necessário durante este período.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.