A informação foi avançada hoje à Inforpress pela atriz  Vandrea Monteiro, tendo informando que o grupo Fladu Fla e o de Chão de Oliva estabeleceram, em 2017, uma parceria e que, fruto desta união, o grupo de Sintra participou no Festival do Atlântico em Cabo Verde e ficou o compromisso de trabalharem numa co-produção.

Segundo a mesma fonte, a ideia inicial era trabalharem a peça “Menos Um”, mas a encenadora de Chã de Olívia, Suzana Gaspar, que esteve em Cabo Verde, em janeiro, propôs uma outra peça.

Isto, porque, avançou, a peça “Menos Um” já tem todos os atores compostos e inclusive já foi apresentada nos palcos de Cabo Verde, em Portugal no Festival de Preferências e em Macau.

“Suzana Gaspar já sabia de antemão que estávamos a preparar a peça ‘Chiquinho’ para este ano e disse, porque não trabalhamos nessa peça”, contou.

Os dois grupos estão, neste momento, a trabalhar no guião desta peça, que será apresentada na III edição do Festival Atlântico (Teatri), em outubro, realizado pela Companhia Fladu Fla.

“Temos o livro tão puro e cru e a partir do livro estamos a trabalhar todas as falas e as cenas. Tem nascido de um trabalho conjunto. É claro que a Suzana como encenadora foi-nos orientado, mas nós os atores estamos a criar a peça também com o apoio de Sabino Baessa”, sublinhou.

Sem avançar muitos detalhes, Vandrea Monteiro realçou que nesta peça vão ter o “Chiquinho muito presente, como criança e adulto”.

“Ainda estamos a definir se vamos retratar a história ‘Chiquinho’ em São Nicolau, quando ele foi para São Vicente, e ainda as mortes que houve, mas também estamos a trabalhar um pouco a memória. Vai ser uma coisa lindíssima”, frisou.

Para a atriz, a peça vai ser uma “grande homenagem” ao Baltasar Lopes, num ano em que completa 30 anos da sua morte.

“Chiquinho” é um romance de Baltasar Lopes da Silva,  publicado em 1947 e está dividido em três partes: “Infância”, “São Vicente” e “As águas”.

O livro é dedicado à memória do filólogo  Leite de Vasconcelos, professor do autor.