O livro, lançado no Centro Cultural Português, na Cidade da Praia, teve a chancela da Editora SOCA e, segundo a autora, a ideia era fazer um caderno de música, mas este acabou por ser um livro.

“Tututa Composições”, disse traz composições organizadas em letra e cifra, voz e cifra e piano e voz, partituras completas para interpretação em qualquer instrumento.

Para além das partituras, o livro contém imagens e olhares de algumas pessoas e músicos que conviveram com a pianista.

A recolha dos materiais, informou, foi um processo simples,  pois tinham vários materiais, mas o mais difícil foi selecionar quais as imagens e os olhares que deveriam entrar no livro.

O músico Mário Lúcio, que fez a apresentação da obra, considerou que o trabalho feito pela filha é de “paixão e afeto”, mas também de “muita precisão”,  porque era um “assunto familiar que ultrapassou as fronteiras da casa e tornou-se num assunto nacional”.

“É um trabalho que ela fez de muito mérito que é conceber o livro. É um livro concebido para homenagear a mãe e depois um livro concebido para doar a mãe, porque a forma como o livro chega as nossas mãos, é um livro para se guardar e para se oferecer”, afirmou.

Nesta esta obra, disse, a professora apresentou as letras correspondem às versões originais, enquanto o músico Humberto Ramos fez à transcrição das melodias e ainda fez um trabalho de cifrar a música.

“Isto permite que quem não conhece a melodia, mas saiba ler a partitura, possa ler a partitura. Isto vai universalizar a nossa música e vai ajudar que outros pianistas e intérpretes possam fazer uso desse documento”, afirmou.

Em nota final, a editora SOCA informou que abraçou o livro desde a primeira hora, devido ao seu “inestimável valor como criação intelectual e artístico, e por representar também um “grande contributo” à candidatura da morna à Património Imaterial Mundial.

Tututa é nome artístico de Epifânia de Freitas Silva Ramos, nascida no Mindelo a 6 janeiro de 1919, e falecida no dia 27 de janeiro de 2014.

Considerada uma figura lendária no país, foi autora de temas como Grito d’ Dor,  Sentimento,  Mãe Tigre e Vida Torturada, entre outros.

Cesária Évora, Bana, Humbertona e a sua filha Magda Évora são alguns dos intérpretes que gravaram seus temas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.