Na manhã de sexta-feira, 26, em Conselho de Ministros, o ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, anunciou que a Tabanca foi elevada a Património Cultural Imaterial, ou seja, é oficialmente reconhecida pelo Estado de Cabo Verde como património nacional e como marca identitária do povo cabo-verdiano.

Em conversa hoje com a Inforpress, o presidente do grupo de Tabanca de Achada Santo António, Pedro Carvalho, disse que é uma “boa nova” para todos os grupos de Tabanca, pois, era algo que já estavam à espera.

“Estávamos à espera porque foi uma promessa do Governo e nós também trabalhamos muito para ajudar o Governo neste desiderato, portanto, é um anúncio esperado e a Tabanca está de parabéns, Cabo Verde está de parabéns e o Governo pela sua acção”, enalteceu.

Com esta classificação, a partir de agora, para Pedro Carvalho as responsabilidades vão aumentar e a meta é fazer com que a Tabanca seja elevada a património imaterial da humanidade.

A mesma fonte demonstrou a sua disponibilidade em continuar a trabalhar com o Governo e os técnicos do Instituto do Património Cultural para que Cabo Verde tenha outro património inscrito na lista da Unesco.

“Vamos continuar com mais dinâmica e vamos continuar a preservar e valorizá-la para que a Tabanca não morra”, assegurou.

Para o rei da Tabanca de Achada Leite, no concelho de Santa Catarina, Francisco Gomes Mascarenhas, é com “muita alegria” que receberam este anúncio que veio trazer “mais ânimo” para os homens e mulheres que há muitos anos vêm lutando para o reconhecimento desta manifestação cultural pelo Estado.

O rei de Tabanca prometeu que vai continuar a incentivar os jovens para que esta tradição não morra e para que a Tabanca continue a seguir este “bom caminho”.

“Agora, temos a tarefa de lutar para que ela não vá para trás, mas sim que continue nesta caminhada porque o caminho é para frente”, assegurou.

Numa publicação nas redes sociais, o antigo presidente da Câmara Municipal de Santa Catarina, Francisco Tavares, disse que “esta é a melhor homenagem “que se pode fazer a Bibiano Moreira de Ribeirão Engrácia, Nhu Báz – Chã de Tanque, José Lima de Palha Carga (já falecidos), Nha Bode de Achada Falcão, outros responsáveis das Tabancas de Tomba Touro, Achada Leite, Charco, Ribeira Riba, Mato Sanches, Boca Mato, Lem Cabral, Achada Grande – Santa Catarina, Achada Grande – Praia, Várzea, Achada Santo António, dos restantes concelhos de Santiago e do Maio”.

Este reconhecimento, ajuntou, deve servir de incentivo aos jovens que devem garantir o futuro da Tabanca e deve também abrir caminhos e incentivar a comunidade académica para trabalhos de investigação.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.