Escrito por Eurídice Monteiro, Augusta Teixeira, Maria Semedo e José Évora, este livro é o resultado de um projecto de “maior fôlego”, intitulado “Rumores de Encantada” e a “História Oral nas montanhas de África”, uma pesquisa etnográfica no interior da ilha de Santiago, levado a cabo pelo mesmo colectivo de autores.

Além da pesquisa etnográfica, realizada nas comunidades de Cantada de Flamengos, Cantada de Ribeira de São Miguel e Cantada da Ribeira do Principal, no interior da ilha de Santiago, o escritor José Évora disse que foram realizadas pesquisas documentais no sentido de “mapear as referidas localidades, melhor inteirar das respectivas histórias locais e, a um só tempo, procurar evidências documentais referentes às lendas e aos mitos, alvos dessa reflexão e pesquisa”.

A escolha do título “Nkantada”, segundo explicou José Évora, derivou das “lendas de encantadas” que estão presentes no “ideário das gentes das ilhas”.

Por se tratar de uma equipa multidisciplinar, com experiências no domínio da investigação em matéria das Ciências Sociais e Humanas, com trabalhos publicados e, sobretudo, com domínio de línguas, disse que isto permitiu que o livro fosse apresentado em duas línguas estrangeiras, inglês e francês, além do crioulo de Cabo Verde e do português.

Ainda a decisão de publicar o livro em quatro línguas, explicou, foi pensando na diáspora cabo-verdiana e, ao mesmo tempo, o desejo da equipa que o livro tenha uma “maior dispersão” possível no seio de potenciais leitores.

José Évora assegurou que com este livro querem levantar a “ponta do véu” sobre o património imaterial cabo-verdiano, consubstanciado nas lendas e nos mitos, tão disseminados nas ilhas, particularmente, nas mais antigas em termos de povoamento.

Assim sendo, os autores pretendem dar o contributo para a promoção da história na perspectiva do turismo cultural.

Com o objectivo de estabelecer paralelismos com outros espaços do arquipélago, informou que a ilha de Santo Antão foi eleita para uma primeira pesquisa etnográfica sobre o mesmo assunto e, provavelmente, será alvo de uma próxima investida.

A apresentação da colectânea infanto-juvenil estará a cargo da jovem leitora Amara Lua e do jornalista Giordano Custódio.

A ilustração da capa foi feita pela brasileira Teresa Costa e as ilustrações da contracapa, da folha de rosto e da narrativa é do cabo-verdiano Yuran Henrique.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.