O vereador da Cultura, António Lopes da Silva, revelou ontem à tarde, dia 22, em conferência de imprensa, que o festival inicia-se a 31 de dezembro e só irá terminar por voltas das 04:00 de 1 de janeiro e que contará ainda com a presença do Fidjos Codé de Dona, o fenómeno musical de momento com a melodia ritmada “Cotxi Pó”.

Pelo palco deste festival, já considerado habitual pela autarquia da capital, irão passar ainda o jovem artistas Big Z e o agrupamento musical Primitive, banda de “rock” que vai lançar o seu primeiro trabalho discográfico, para além de alguns DJ.

À meia-noite, a Câmara Municipal da Praia tem já projectado momentos de fogo-de-artifício, para assinalar a entrada de 2018, com “festa rija”, porquanto a edilidade vai aproveitar o momento para dar o arranque das actividades comemorativas do 160º aniversário da elevação da Praia da Vitória de Santa Maria à Cidade da Praia.

A Câmara da Praia, explicou Lopes da Silva, vai dedicar todo o ano vindouro para comemorar esta efeméride, “com pompa e circunstância”, no âmbito da rede das 18 Cidades Criativas pela UNESCO, cujo projecto aprovado está avaliado em 30 mil contos.

“É um motivo de satisfação para a Cidade e para todos os artistas, pelo que vamos ter um ano inteiro de celebração e homenagem de forma a colocar a Cidade da Praia no centro das nossas actuações”, explica  Lopes da Silva para quem em Janeiro vai ser recuperado o festival de novos artistas, visando a sua preparação para festivais como Gamboa ou AME.

Anunciou ainda para o ano vindouro a realização do Festival das Cidades Criativas pela UNESCO, que será baseado num conjunto de programações a serem implementados num universo de quatro anos.