"Até este momento, tivemos uma atenção especial no domínio da cultura, porque a cultura é, efetivamente, um sector estratégico do desenvolvimento do concelho. Há várias potencialidades no domínio da cultura e temos vindo a promover as potencialidades culturais do concelho associadas ao desenvolvimento do turismo", constatou o edil.

José Alves Fernandes, que falava em entrevista exclusiva à Inforpress, a propósito das políticas da municipalidade para o sector da cultura, lembrou que durante esses três anos da governação, o concelho teve uma agenda cultural “muito forte”, que marcou, igualmente, a agenda cultural de Santiago Norte e colocou Santa Catarina na agenda internacional.

Isto porque, segundo ele, a sua equipa conseguiu mobilizar parceiros internacionais no domínio da cultura e com “projetos interessantes”, criou um ambiente “muito mais propício” para os agentes culturais no concelho e fez mais investimentos no domínio da cultura.

A nível internacional, destacou o facto de Santa Catarina integrar a rede cultural “Sete Sóis Sete Luas” e de a edilidade ter conseguido junto dos municípios estrangeiros parcerias que permitiram a troca de experiências entre os agentes culturais.

Promoção de palestras, tertúlias, conversas abertas, lançamento de livros, workshops, atividades com grupos culturais de batuque, tabanca, e outros géneros musicais e com centros de olarias de Fonte Lima, atividades de promoção dos artesãos com realização de feiras, são outros destaques do sector da cultura.

Relativamente ao Sete Sois Sete Luas, José Alves Fernandes reiterou o compromisso do município albergar um Centrum Sete Sóis Sete Luas, na cidade de Assomada.

“Tudo isso tem colocado a nossa cultura na agenda do desenvolvimento do concelho”, congratulou-se o edil santa-catarinense.

De entre os projetos para “próximos tempos” indicou o da construção de um auditório, a ser erigido num dos compartimentos da parte de cima do Pelourinho de Assomada, tendo garantido que a obra, orçada em 175 mil contos, no âmbito do PRRA, não vai “ferir” a arquitetura do referido espaço, mas sim vai agregar valor ao mesmo.

O autarca informou ainda que vários edifícios históricos e religiosos erigidos no município vão ser reabilitados no âmbito do Eixo IV (Reabilitação do Património Histórico, Cultural e Históricos) do Programa de Reabilitação, Requalificação e Acessibilidades (PRRA) do Governo, cujas obras estão em curso.

Trata-se, do Centro Cultural Norberto Tavares de Assomada, a Igreja de Santa Catarina, em Cruz Grande, capela de Santo André, nos Engenhos.

Apontou ainda a reabilitação das casas de Tabanca como aposta da edilidade para próximos tempos, numa parceria com Ministério da Cultura.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.