O anúncio foi feito no discurso de abertura da IX edição do Encontro de Escritores de Língua Portuguesa, que este ano homenageia o escritor cabo-verdiano e Prémio Camões 2018, Germano Almeida.

O primeiro-ministro esclareceu que este centro, de entres outras valências, vai ser um grande espaço literário de mostras de livros cabo-verdianos e da literatura africana e lusófona.

“Estivemos a pesquisar, de facto é e será o primeiro centro cultural público de um país africano num país europeu”, garantiu.

Informou por outro lado, que o Ministério da Cultura e da Indústrias Criativas já assinou protocolos com sete das mais reputadas feiras e festivais literários de Macau, Moçambique, Brasil, Espanha e Portugal.

“São palcos que permitem com que os nossos escritores e autores possam despontar, apresentar-se e poder partilhar as suas obras”, notou Ulisses Correia e Silva.

Para esta IX edição do Encontro dos Escritores de Língua Portuguesa estão confirmadas a presença de escritores angolanos Pedro Correia e Cremilda Lima, do brasileiro Andréa Zamorano, da guineense Kátia Casimiro, da moçambicana Conceição Queiroz.

De Cabo Verde estão presentes Ana Cordeiro, Augusta Teixeira (Mana Guta), Daniel Medina, Germano Almeida, Hermínia Curado Ferreira, João Lopes Filho, Natacha Magalhães e Odair Varela.

Da Galiza participam a escritora Adela Figueiroa Panisse, de Portugal os escritores André Letria, Avelina Ferraz, Daniel Completo, José Fanha e Sílvia Alves, e de São Tomé e Príncipe, Olinda Beja.

Com o tema principal “A Literatura Infanto-juvenil”, o encontro, que decorre até o dia 22, na Biblioteca Nacional, é uma iniciativa da União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA) e da Câmara Municipal da Praia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.