"É preciso conceptualizar bem para não sermos superficiais no momento de apresentarmos uma candidatura a património da humanidade. Acredito que [o campo] tem todas as condições [para ser Património Mundial], mas colocar em cima da mesa todas as evidências, tirar as conotações políticas que podem haver, mas sermos rigorosos no momento de contar a história", afirmou o ministro.

Abraão Vicente falava aos jornalistas durante uma visita ao Campo de Concentração do Tarrafal de Santiago, cuja candidatura a Património Mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) deverá ser apresentada no próximo ano, num processo em que Cabo Verde quer mobilizar a Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Durante a visita, o ministro das Cultura e das Indústrias Criativas cabo-verdiano constatou 'in loco' a primeira fase de reabilitação do Museu da Resistência do antigo Campo de Concentração do Tarrafal, enquadrada no projeto Museus de Cabo Verde.

Os trabalhos estão a ser realizados por técnicos do Instituto do Património Cultural (IPC), que vão implementar a nova proposta museológica e museográfica para o espaço.

Segundo o ministro Abraão Vicente, o projeto museológico vai permitir aos cabo-verdianos e aos turistas terem uma referência do período histórico em que foi fundado o campo de concentração do Tarrafal de Santiago.

O governante sublinhou também a importância das famílias que vivem no espaço, dizendo que há necessidade de ter um plano estratégico, mas também emocional para o seu realojamento e integração num plano de gestão futura do monumento.

O campo do Tarrafal, inaugurado em outubro de 1936, foi inspirado nos campos de concentração nazis, e nele morreram 32 presos políticos portugueses e dezenas de outros oriundos das então colónias de Portugal.

O monumento, que já é Património Cultural Nacional, consta da lista indicativa a Património Mundial da Unesco desde 2003.

Além do Campo do Tarrafal, o projeto Museus de Cabo Verde prevê, numa primeira fase, a reabilitação e redefinição museológica e museográfica de mais quatro estruturas: Museu do Sal (ilha do Sal), Museu da Pesca (São Nicolau), Museu do Mar (ilha de São Vicente) e o Museu da Tabanca (ilha de Santiago).