Cabo Verde, um dos países convidados, é um dos oito estados que participam pela primeira vez neste certame, que deverá reunir mais de 200 artesãos de 30 países do continente africano, americano e europeu.

Uma nota do governo indica que a participação de Cabo Verde “está enquadrada no processo de internacionalização da cultura cabo-verdiana” e de “valorização do artesanato no país”.

A delegação cabo-verdiana, que será acompanhada pelo diretor do Centro Nacional de Arte, Artesanato e Design (CNAD), Irlando Ferreira, será composta por seis criadores da ilha de São Vicente, dois de Santo Antão e três de Santiago.

Para o presidente da autoridade administrativa de Tenerife, Carlos Alonso, a feira pretende “promover a ligação entre artesanato e outros setores, como hotel e moda, a fim de diversificar os usos do produto artesanal”.

SMM // JH