Segundo o pároco, a parte “mais importante” para a comunidade católica é a religiosa, explicando que já encetou todos os contactos necessários para organizar a celebração, tendo em conta a situação vivida devido à pandemia da covid-19.

Conforme o sacerdote, terá a celebração eucarística às 10:30, mas antes da missa, como tem sido habitual fazer a procissão, este ano vão fazer a procissão da imagem no carro.

“Colocamos o carro da Protecção Civil ou da Polícia Nacional (PN) à frente, o carro com a imagem vai atrás para fazer o percurso da procissão e depois vamos continuar com a celebração normal a frente da igreja”, explicou frei Odair.

A mesma fonte garantiu que para a celebração, estão preparados para tomarem todas as medidas necessárias, tendo já estabelecido contacto com o pessoal da Protecção Civil e da PN.

Assim, afiançou que vai haver o distanciamento entre os fiéis e nas entradas principais, haverá pessoas responsáveis pelo processo da higienização das mãos com álcool gel, como também para garantir que as pessoas que vão participar na missa estarão a utilizar máscaras.

O frei deixou claro que pessoas não podem participar na procissão, reforçando que será somente o carro com a imagem, e um outro carro com música ou a meditação do Rosário e haverá uma pessoa na igreja a tocar o sino durante o percurso.

Quanto às pessoas que ficam à frente da igreja a espera da chegada da imagem, sublinhou, que vão ficar a rezar o Rosário como se estivessem a acompanhar a procissão, para manterem sempre em sintonia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.