O escritor, que se encontra pela primeira vez na ilha da Boa Vista, avançou à inforpress que não hesitou em aceitar o convite do presidente da câmara municipal para apresentar “Percursos e Destinos” aos leitores da Boa Vista.

O professor universitário disse ter visto neste convite também uma chance de procurar motivar as pessoas a ler, conjugando assim o trabalho e a aventura de conhecer a ilha das dunas.

“Ao longo do tempo, fui colhendo elementos e somando apontamentos que depois vi que estes dariam num resultado final, um material que poderia partilhar com as pessoas”, explicou o autor, que garantiu não ter por hábito escrever romances.

Entretanto, conforme contou, decidiu em 2010 concorrer por acaso ao concurso SONAGOL, prémio literário internacional para os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP).

Venceu o concurso por unanimidade, ao qual tinha concorrido 87 pessoas de todos os cantos do mundo.

O autor disse que encontrou neste mérito a motivação para escrever “Percursos e Destinos”, que teve de ser publicado primeiro em Angola, uma das condições do prémio. Daí, justificar, “somente agora a apresentação do livro nas ilhas”.

A escritora Ondina Ferreira, que escreveu o prefácio do livro, assegurou que o leitor irá descobrir, ao longo das páginas do romance, a forma “interessante como o antropólogo “espreita” o ficcionista e, vice-versa, como o ficcionista, muitas vezes, “cede lugar” ao analista/etnólogo”.

“Ficaria contente, se este livro fosse bem recebido aqui. A avaliação dependerá dos habitantes, porque quando se escreve, o livro passa a ser do leitor que avalia, dê opinião e fala da obra”, confessa João Lopes Filho, que escreve sob ponto de vista de ensaio, cultura e sociedade.

Depois de Santiago e Santo Antão, hoje o jornalista Daniel Medina apresentou na ilha de Boa Vista, a segunda edição do romance do escritor João Lopes Filho, “Percursos e Destinos”, que tem a chancela da livraria Pedro Cardoso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.