De acordo com um comunicado de imprensa, a exposição está enquadrada no ciclo de exposições e homenagens a figuras das letras de Cabo Verde, a ser realizado pela BNCV, tendo esta iniciativa principiada com a exposição do escritor natural da ilha do Fogo, Teixeira de Sousa.

A referida exposição, de acordo com o documento, reúne um “pequeno acervo bibliográfico” do escritor de obras como “Contra Mar e Vento” (1972), adaptado num espetáculo de teatro, “Ilhéu de Contenda” (1978), adaptado para as telas do cinema, e outros títulos.

“Henrique Teixeira de Sousa é considerado um “homem muito sui generis e figura axioma e incontornável da literatura cabo-verdiana. O escritor emprega crioulismos para exaltar a nossa linguagem. Teixeira de Sousa foi um marco importante na literatura cabo-verdiana e um grande ficcionista e visionário”, lê-se na nota, que reconhece o seu contributo no desenvolvimento de Cabo Verde seja a nível da saúde ou da literatura cabo-verdiana.

Teixeira de Sousa deixou uma vasta obra literária entre as quais se destacam Contra Mar e Vento, Contos (1972), Ilhéu de Contenda (1978) Capitão de Mar e Terra (1984) Xaguate (1987)Djunga (1990) Na Ribeira de Deus (terceiro de trilogia) (1992), Entre duas Bandeiras (1994), Oh Mar das Túrbidas Vagas (2005).

Henrique Teixeira de Sousa, nasceu na Freguesia de S. Lourenço, Ilha do Fogo, a 6 de Setembro de 1919. Licenciado em Medicina pela Universidade de Lisboa, em 1945, especializou-se no Porto, em Medicina Tropical e Sanitária.

No ano seguinte, foi colocado em Timor, e em 1948, regressa a sua terra natal, onde foi delegado de Saúde e fundou o Hospital e a Maternidade no edifício construído para ser hospital e que tinha sido transformado num albergue dos flagelados pela fome.

Em 1956, especializou-se em Nutricionismo, em França, tendo sido depois nomeado médico-adjunto da missão permanente de Estudo e Combate de Endemias de Cabo Verde e presidente da comissão de Nutrição do mesmo arquipélago.

Foi membro titular da Société Scientifique d’Higiéne Alimentaire de Paris e da delegação portuguesa da III sessão da Conferência Inter-Africana da Nutrição.

Em 1973, foi nomeado adjunto do chefe da Repartição de Saúde e Assistência do Barlavento, em Cabo Verde.

A partir de 1975, passa a residir em Portugal, onde, já aposentado, exerce medicina privada.

Henrique Teixeira de Sousa morre a 3 de Março de 2006 vítima de atropelamento em Algés (Portugal).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.