“Toresma fez muito pela tabanca de Achada. No momento mais difícil desta manifestação cultural em que esta, praticamente, estava parada, ele foi um dos que fez de tudo para promover a tabanca e para que hoje ela esteja no lugar em que está”, disse Pedro Carvalho.

Conforme avançou, no âmbito do programa de valorização e divulgação da Tabanca Achada Santo António, a associação leva a cabo este fim de semana um torneio quadrangular de futebol, torneio de cartas, e uma gala cultural com a participação do grupo Ferro e Gaita, Tikai entre outros.

Para Pedro Carvalho, a tabanca teve “dias piores”, mas, nos últimos tempos, este tem estado numa “boa fase e num bom ritmo”, graças ao apoio que os grupos têm recebido por parte do Ministério de Cultura e das Indústrias Criativas e da Câmara Municipal da Praia.

Antes, disse, brincavam a tabanca com 30 a 40 pessoas, mas hoje em dia são 3 a 4 mil pessoas a aderir às brincadeiras e ao desfile de “Busca Santo”, que habitualmente acontece em julho.

Antes, os materiais necessários para brincar a tabanca eram poucos, mas hoje com os apoios cada vez têm conseguido adquirir mais materiais, informou.

Neste momento, recordou, o Governo quer levar para o Parlamento uma lei que cria o Dia Nacional de Tabanca, o que na sua opinião vai dar mais ânimo às pessoas que trabalham com tabanca.

“Está ainda em curso uma inventariação da tabanca para analisar a possibilidade de ela ser património da humanidade”, apontou.