A obra, segundo este responsável da empresa promotora da iniciativa, Indar Borges, vai ser iniciada neste sábado e ocupará uma das “praças emblemáticas” do Mindelo, mas cujo nome não pode ser revelado por agora.

“Só posso dizer que a obra vai ser realizada ainda este fim-de-semana e depois a vamos inaugurar na segunda-feira, o resto ainda é surpresa”, adiantou à Inforpress o produtor da Kriol Ideias.

Mas, segundo a mesma fonte, São Vicente vai ganhar uma obra de arte urbana de “grandes dimensões”, pelas mãos de um dos artistas urbanos cujas obras figuram um pouco por todo o mundo.

A intervenção de Vhils em Cabo Verde resulta, ajuntou, de uma “ambição antiga” da Kriol Ideias, primeiro em parceria com o projecto Xalabas di Comunidadi, na Praia, e que resultou numa pintura na zona de Achada Grande e agora no Mindelo, com a parceria da Câmara Municipal de São Vicente.

Além da obra, Vhils irá ainda realizar, em São Vicente, um workshop para jovens artistas urbanos locais e uma ‘masterclass’ inserida na apresentação da Ocean Week 2019, em parceria com o Ministério da Economia Marítima.

Nascido em Lisboa, Portugal, o artista cresceu no Seixal, um subúrbio industrializado na margem sul do rio Tejo, e foi, conforme informações da Kriol Ideias, “profundamente influenciado pelas transformações provocadas pelo intenso desenvolvimento urbano pelo qual o país passou nas décadas de 1980 e 1990”.

Desde 2005, Vhils, de nome próprio Alexandre Farto, trabalha em exposições individuais e colectivas, intervenções artísticas específicas e projectos de arte urbana, estando as suas obras presentes em mais de 30 países do mundo.

O artista tem trabalhado em vários contextos, desde trabalhos comunitários nas favelas do Rio de Janeiro até colaborações com instituições de arte de renome, como a Fundação EDP (Lisboa), o Centre Pompidou (Paris), o Barbican Centre (Londres), o CAFA Art Museum (Pequim) ou o Museu de Arte Contemporânea de San Diego (San Diego), entre outros.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.