O tema da exposição “evoluçon” espelha, segundo Jairson Lima, a evolução que ele próprio tem vindo a sofrer ao longo dos anos e, em seu entender, quem o seguiu ao longo desse tempo notará a evolução que conseguiu atingir desde o início da carreira até ao momento.

São 15 obras que retratam a vivência cabo-verdiana, a mulher cabo-verdiana e o folclore das ilhas, com uma referência especial à Independência de Cabo Verde com um quadro que homenageia Amílcar Cabral.

O artista, que inaugurou a exposição “evoluçon” no passado dia 05 de julho, na cidade da Ribeira Grande, assinala 10 anos de exposições desde que fez a sua primeira mostra em 2009 e já expôs em várias salas a nível nacional e internacional, essencialmente, “pela mão” do Festival Sete Sóis Sete Luas.

“Estes 10 anos de exposições têm sido gratificantes sobretudo porque já tenho mais seguidores e apreciadores da minha obra”, disse Jairson Lima que se sente cada vez mais motivado para prosseguir porque, conforme disse, “qualquer artista gosta de sentir que o seu trabalho é apreciado”.

Expor a nível internacional foi uma meta traçada pelo artista que se diz satisfeito e orgulhoso por ter atingido esse objetivo, de há três anos a esta parte e já tem programadas outras três exposições fora do país, para os próximos tempos, nomeadamente em Portugal, no Luxemburgo e na Itália.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.