A atriz Winona Ryder repetiu as ascusações de antissemitismo contra Mel Gibson após um representante do ator a ter acusado de mentir.

Numa entrevista ao The Sunday Times, a estrela de "Stranger Things" deu vários exemplos quando lhe perguntaram se teve experiências de antissemitismo na indústria.

Um deles foi em 1996 com Mel Gibson que tinha contado à revista GQ em 2010 e agora, em plena tensão racial nos EUA, está a ter bastante impacto e a causar indignação nas redes sociais.

"Estávamos numa festa muito concorrida com um dos meus grandes amigos. E o Mel Gibson estava a fumar um charuto e estamos todos a conversar e ele diz para o meu amigo, que é homossexual, 'Espere, vou apanhar Sida?'. E então apareceu qualquer coisa sobre Judeus e ele disse, 'Não és uma 'oven dodger', pois não?”, recordou.

"Oven dodger", que não tem tradução portuguesa, é uma expressão depreciativa para uma pessoa de ascendência judaica que usa o termo "oven", numa referência aos fornos em que foram queimados judeus nos campos de concentração durante o Holocausto.

Winona Ryder acrescentou que Mel Gibson "tentou" pedir desculpa mais tarde.

Um representante do ator diz que os comentários da atriz são "100% falsas" e está a mentir.

"Ela mentiu sobre isto há mais de uma década [...] e está a mentir sobre isso agora. Além disso, ela mentiu sobre ele ter tentado pedir-lhe desculpa naquela altura. Ele procurou-a, há muitos anos, para confrontá-la sobre as suas mentiras e ela recusou-se a falar com ele.", explicou.

Em resposta a estas declarações, Winona Ryder repetiu as declarações num novo depoimento ao TheWrap.

"Acredito na redenção e no perdão, e espero que Gibson tenha encontrado uma forma saudável de lidar com os seus demónios, mas eu não sou um deles. Por volta de 1996, o meu amigo Kevyn Aucoin e eu fomos os destinatários das suas palavras odiosas. Para mim é uma lembrança dolorosa e vívida. Apenas aceitando a responsabilidade pelo nosso comportamento nesta vida podemos alterá-lo e respeitar verdadeiramente o próximo e desejo-lhe felicidades nesta jornada ao longo da vida", declarou.

A reputação de Mel Gibson caiu a pique após ser detido em 2006 por conduzir alcoolizado e ter vindo a público um discurso antissemita sobre como os "judeus começaram todas as guerras".

Em 2010, a situação piorou quando foi apanhado numa gravação a ameaçar a namorada Oksana Grigorieva, que um ano mais tarde o acusou de violência doméstica.

As justificações para este e outros momentos semelhantes foram o álcool e a depressão.

Muitos acreditaram que a carreira tinha acabado e o próprio reconheceu que foi um grande desafio voltar a ser aceite em Hollywood, o que aconteceu com "O Herói de Hacksaw Ridge" (2016), nomeado para os Óscares.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.