Este tipo evento, que vem sendo organizado desde do nascimento da academia e também para assinalar os aniversários, neste ano, segundo Janaína Alves, tem um “gostinho especial”, tendo em conta que mostra o que a ALAIM conseguiu atingir nestes três anos de vida.

“É uma coisa que a gente não imaginava, superou totalmente as nossas expectativas, porque percebemos que a ALAIM se tornou numa marca internacional”, considerou, exemplificando com um caso “bem concreto” de um grupo no Brasil, que vai abrir uma academia inspirada na experiência da ALAIM, em que, inclusive, acrescentou, um dos patrocinadores só apoiou depois de ver os resultados obtidos aqui em São Vicente.

“Então, estamos muito contente de, finalmente, estarmos a viver esse sonho em movimento, que é a ALAIM, que não sabíamos que teria esse impacto todo”, assegurou com o anúncio da programação de comemoração, que começa às 15:00 do dia 21 e se prolonga até por volta das 3:00 do dia 22, “totalmente imperdível, divertido e para todas as idades”.

A receção aos convidados vai ser feita com a batucada do Mick Lima, que, segundo a mesma fonte, servirá para entrar no “clima do Carnaval”, que toda a cidade do Mindelo já pulsa.

Esta atividade que abre um programa de mais de 12 horas “non stop”, que tem como a “cereja no topo do bolo” o concerto da Tété Alhinho, acompanhada de Khaly Angel e com a abertura feita pelo Coro da Escola Jorge Barbosa, por volta das 21:00.

“Nós namorávamos com esta possibilidade há muito tempo, e parece que este ano tudo foi se costurando e acontecendo sem fazermos muito esforço”, disse Janaína Alves à Inforpress, apontando como uma dessas “conspirações” o mais recente CD lançado pela Tété Alhinho “Mornas ao piano”.

Contudo, a “maratona” de eventos não fica por aí e está ainda agendada uma pintura ao vivo de dois painéis na parede da academia, feita pela Gildoca Barros e sua equipa, que se estenderá por toda a tarde.

“As pessoas podem ter a oportunidade de ver e interagir com os artistas e conhecer ao vivo como é a construção de um painel artístico”, explicou.

A ementa do “Over12” conta, conforme a mesma fonte, com uma parte institucional, em que vai se dar “voz” aos parceiros da ALAIM, seguida de pintura de azulejos pelos alunos, que depois vão ser colocados na parede e pelas 16H30, por um espetáculo de artes circenses , com o artista Rafa Pikapau.

Como forma de publicitar as atividades feitas na instituição, faz parte ainda da agenda uma mostra das diversas oficinas organizadas na academia, a que se segue uma apresentação internacional do grupo português “Um Coletivo”, que mistura contar de estórias com cinema.

Itens de uma programação “ bem leve e para toda a família” e que, entre outras atividades, mostra a peça “Cloun Creolus Dei”, do Grupo de Teatro Centro Cultural Português do Mindelo, que, conforme explicou Janaína Alves, fora uma das motivações para a abertura da academia, já que estes não tinham espaço para ensaiar.

O mesmo que acontecia aos grupos de dança de São Vicente, que encontraram a ALAIM como “porto seguro” e que também têm lugar no “Over12”, num espetáculo de cerca de uma hora, com estilos variados.

Para terminar, há show de hip hop e “Arco-íris party”, que põe fim à programação que, segundo Janaína Alves, espelha o “sentimento vivido” neste momento na ALAIM, de festejar este aniversário “sem dívidas” por pagar.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.