A informação foi avançada hoje à Inforpress pela coordenadora da Academia Cesária Évora, Lígia Timas, e pelo responsável financeiro do ANCV, Osório Fortes, que, neste momento, estão a contabilizar os prejuízos para pedir uma compensação junto da Electra.

Esta descarga energética, segundo as mesmas fontes, ocorreu no final de semana de 11 e 12, possivelmente no mesmo dia em que a Cabo Verde Telecom, que fica também na zona de Chã d´Areia, foi surpreendida por um incêndio nas suas instalações, que provocou a paralisação de todos os serviços da empresa, a nível nacional.

“Houve uma descarga energética e contactámos a Electra para averiguar o que se passou e fizeram o levamento, e concluíram que, de facto, a tensão estava alta e descobriram que um posto de transformação, ao lado do Instituto de Emprego e Formação Profissional, estava com problema”, disse à Inforpress o responsável financeiro e administro da ANCV, Osório Fortes.

Do levantamento feito até agora, adiantou, os computadores e fonte de alimentação dos PBX foram todos danificados.

Já na Academia Cesária Évora, para além dos computadores queimados, tiveram prejuízos com o Reuters (sistema de distribuição de internet), impressora, fotocopiadoras, microondas, transformadores, ventoinhas, entre outros.
Segundo Lígia Timas esta situação tem condicionado os trabalhos da academia, que desde semana passada estava sem energia, impossibilitando os trabalhos da administração.

“Tínhamos que retomar as aulas online que eram para iniciar na semana passada, mas ainda estamos condicionados. Temos ainda a ideia de realizar algumas actividades online para colmatar as colónias de férias, mas também estamos condicionados”, relatou.

A Inforpress contactou o gabinete de comunicação da empresa Electra para um esclarecimento do assunto, mas sem sucesso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.