De acordo com uma nota informativa publicada no site oficial do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, a residência artística destina-se a coreógrafos e/ou bailarinos de nacionalidade cabo-verdiana em início de carreira, com experiência de participação em projectos de composição e criação coreográfica e/ou integração em criações artísticas na área da dança.

O referido projecto, ajuntou a mesma fonte, é direccionado a coreógrafos e/ou bailarinos que tenham residência oficial em Cabo Verde ou que se encontrem a viver, estudar e/ou a trabalhar no país.

O artista seleccionado terá a oportunidade de desenvolver um projecto de criação artística em Dança e será acompanhado por uma entidade local com experiência específica nesta área.

As candidaturas admitidas serão avaliadas por um júri, que integrará um representante do Camões, I.P., um representante da CML e um especialista na área da Dança, a designar em conjunto pelo Camões, I.P. e pela CML.

De acordo com o documento, as candidaturas, deverão ser enviadas até dia 20 de Setembro deste ano preferencialmente, para o endereço electrónico DACE@camoes.mne.pt, referindo, por outro lado, que as decisões do júri são tomadas até 11 de Outubro de 2019, não havendo recurso nem reclamação das mesmas.

A “Residência Artística em Dança” é um programa que visa promover intercâmbio cultural, troca de experiências artísticas, diálogo e debate sobre música.

O evento resulta de uma acção de cooperação entre o município de Lisboa e o Camões Instituto, através do CCP Praia e Pólo do Mindelo, para a realização de um projecto de intercâmbio cultural no domínio da Dança, no âmbito das residências artísticas em Cabo Verde e Portugal.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.