“A câmara é que tem financiado, quase que exclusivamente, o Carnaval, quer na formação dos grupos (…) quer investindo na preparação do espaço de ensaio, quer financiando os grupos. A câmara da Praia tem financiado todos os tipos de atividade que é cultura da nossa cidade e da nossa ilha”, afirmou.

Faltando apenas sete dias para o desfile oficial do Carnaval na Avenida Cidade Lisboa, o autarca fez saber que os grupos oficiais, os grupos de animação, e as escolas e jardins-de-infância já receberam o montante disponibilizado pela autarquia.

Neste momento, informou, estão a ultimar os preparativos para preparar o “sambódromo”, na Avenida Cidade Lisboa e a montar todo o sistema de som, iluminação e bancada.

Conforme referiu, desde do ano passado, a autarquia tem feito um “forte investimento” no Carnaval, com a aquisição de bancadas com mais de 1000 lugares para os foliões, na formação dos grupos com o sambista brasileiro Dudu Nobre e na formação dos grupos oficiais em São Vicente.

António Lopes da Silva garantiu ainda que vão continuar a fazer um “bom investimento” para melhorar e dar mais qualidade ao Carnaval na Cidade da Praia.

“O investimento que foi feito no ano passado é um investimento que vai repercutir para os próximos anos. Vamos capitalizar todos os investimentos. A bancada é para servir no Carnaval, nos festivais, nas atividades desportivas e é um investimento duradouro”, ressalvou.

A festa do Rei Momo inicia-se no sábado, 02 de março, com o desfile, à noite, do grupo de animação Batucassamba, que vai prestar uma homenagem ao compositor Antero Simas, retratando na Avenida a sua composição “Doce Guerra: Um Hino a Cabo Verde”.

No domingo, 03, a Avenida é dos mais pequenos que vão representar as suas escolas e os seus Jardins-infantis, colorindo as ruas e animado os foliões com muita música e dança no pé.

Já no dia 05, é a vez dos cinco grupos oficiais saírem às ruas para brincar mais uma festa do Rei Momo.

Vindo d´ África apresenta o enredo “Diversidade cultural Cabo Verde e China”, Vindo do Mar retrata “Cabo Verde em seis momentos”, Sambajo leva à Avenida “Uma Viagem a Brasil”, Bloco Afro Abel Djassi conta a “Histórias de Cabo Verde no cruzamento de identidades culturais” e Maravilhas do Infinito aborda o “Tesouro do oriente, a rota das especiarias”.