Nos estaleiros, a azáfama é enorme e não sobra num palmo de espaço. Por todos os recantos há sempre gente com coisas a fazer, uns a soldar, outros a forrar, ou então a colar e pintar.

São ao todo, quatro grupos oficiais do Carnaval no Mindelo, todos a rodar “à alta velocidade”, (excecionalmente permitido pelos reguladores do trânsito), quando já só faltam cinco festas para o grande dia de todas as decisões.

“Estamos a 200 quilómetros a hora para dar o nosso melhor, e asseguro que com tudo isso quem vai ganhar é o Carnaval de São Vicente”, salientou o vice-presidente do grupo Estrela do Mar, Hipólito Tavares, também conhecido por Papi, que disse estarem “bem encaminhado” os trabalhos, uma vez que adotaram a “estratégia” de antecipar o desfile para dia 28 de fevereiro.

“Portanto, estamos a trabalhar para que tudo esteja pronto ontem…”, lançou o responsável, que destacou a “grande importância” dos artistas de estaleiro e das costureiras, que trabalham até altas horas da madrugada para colocar um “Carnaval de qualidade” nas ruas do Mindelo.

E são com esses talentos, que apostam em colocar 500 foliões “bem vestidos” nas ruas, e ainda três carros alegóricos e “algumas surpresas” para acompanhar o enredo “A Mensageira”.

“Mas ainda assim acredito que devemos apostar na formação de mais artistas e costureiras para o Carnaval, pois, ainda não são suficientes, se queremos alcançar o nível que desejamos”, advogou Hipólito, para quem esta é uma vertente que os responsáveis da festa do Rei Momo deverão empenhar-se a partir de agora.

No Cruzeiros do Norte, a velocidade também não difere dos outros grupos, “sem tempo se quer para dormir…”, conforme desabafa o presidente, Jailson Juff.

“Estamos na luta dia e noite, já que tivemos alguns atrasos iniciais devido a entrada das verbas, mas com certeza, na segunda-feira teremos tudo pronto”, salientou este carnavalesco, adiantando que apesar das dificuldades estão a conseguir fazer um “bom trabalho” para levar ao sambódromo, três carros alegóricos e cerca de mil foliões.

“Tivemos esta semana muitos pedidos de pessoas que vieram de outras paragens, na sua maioria do estrangeiro e querem desfilar connosco. Já tínhamos previsto esta situação e estamos a fazer de tudo para os encaixar”, reforçou, explicando que estão a contar com estas pessoas para também embelezar o enredo escolhido “CPLP sem fronteiras ou lusofonia sem barreiras”.

A mesma situação é também vivida pelo Flores do Mindelo, mas conforme disse o diretor de Carnaval, Nuno Costa, a situação está um “pouco complicada”, nem tanto pela qualidade, mas mais pelo tempo que “já foge…” às costureiras.

Fora isso, assegurou Nuno Costa, está “tudo controlado” para as coisas saírem “sem contratempos”, quando estão a dobrar as noites para mostrarem aos mindelenses e seus visitantes o potencial do grupo, que neste ano, sairá com três carros alegóricos, dois tripés e entre 600 e 800 foliões, que darão corpo ao tema “Um Monte com cara de gente e um Monte de gente cara”.

“A ideia é fazer um grande desfile para ficar na história, não somente nós, mas todos os grupos, que vão participar”, considerou este elemento da direção do Flores do Mindelo, que criticou, por outro lado, a “falta de apoios” por parte de algumas empresas privadas, que ainda não conseguem ver…, criticou, o “valor que o Carnaval tem” e que consideram como “algo supérfluo”.

Entretanto, o grupo Monte Sossego, segundo o seu presidente, António Duarte, também conhecido por Patcha, não tem esta razão de queixa.

“Tivemos apoios de empresas não só a nível financeiro, mas também em termos de materiais”, asseverou este responsável que, no entanto, reclama da falta de alguma matéria-prima no mercado para realizarem o projeto “bem exigente” que o grupo tem com o enredo “Meu Carnaval é uma novela”.

“Mesmo assim estamos a conseguir cumprir o nosso cronograma e só faltam alguns acertos para termos tudo pronto até este fim de semana”, garantiu, adiantando que vão fazer “de tudo” para reaver o título de campeão, que os escapa há dois anos.

Monte Sossego conta ter esta estatueta de volta com a ajuda de 1.200 foliões e ainda três alegorias e um tripé.

Os desfiles na terça-feira têm início a partir das 15:00 com Monte Sossego seguido de Flores do Mindelo, Estrela do Mar e por fim Cruzeiros do Norte.

A grande decisão sobre os vencedores vai ser conhecida na quarta-feira (06) também pelas 15:00.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.