Na verdade, esta decisão de sair às ruas do Mindelo, segundo Josina Fortes avançou à Inforpress, foi uma forma de responder ao “forte apelo” de amigos, simpatizantes e foliões, que queriam ver o grupo e que agora não vai fazer um desfile, mas um “assalto organizado”.

“O Vindos do Oriente já habituou com a sua organização, com o seu brilho e principalmente com a sua folia e com a sua alegria e é isso que vamos trazer, sempre no sentido de acrescentar e dar mais ao Carnaval em São Vicente”, disse a responsável, para quem o facto de não desfilarem na terça-feira vai deixar, com certeza, um “vazio e tristeza”, que tentarão compensar “um pouco”.

“Mas, o Carnaval é mais importante que qualquer troféu que possamos ganhar individualmente”, garantiu, demonstrando alguma mágoa por acreditar que se está a ir “muito depressa”, quando se devia “trabalhar dentro da realidade” para num futuro “não se pagar um preço maior do que se possa pagar”.

E é neste sentido que, segundo a mesma fonte, no próximo dia 04 de março prometem “inovar” com este assalto, sob o tema da Índia que planejaram desde o princípio para este ano e que terá dois setores, com “alas organizadas” à frente e trio elétrico atrás.

Inclusive, planeiam trazer até a Comissão de Frente, que, ajuntou, já estava sendo trabalhado com a Escola de Dança Noelisa Santos para o desfile oficial e ainda outros ingredientes como figuras de destaque, ala coreografada e ainda a bateria.

“E logo atrás teremos toda a alegria dos foliões, que queiram aderir para brincar o Carnaval”, disse Josina Fortes, acrescentando que para isso vai ser preciso adquirir uma camisola, que ainda não decidiram pelo preço, mas que prometem colocar o “mais acessível possível”.

O Vindos dos Oriente, segundo a mesma fonte, ainda não obteve a resposta da Câmara Municipal de São Vicente sobre autorização do horário, mas, considerou, que não será um “entrave”, uma vez que “qualquer município gostaria sempre de ter mais”.

O grupo decidiu, em dezembro último, não participar no desfile oficial do Carnaval de São Vicente, do dia 05 de março de 2019 por “não estar disponível para compactuar com medidas” que, a seu ver, “irão desvirtuar o Carnaval de São Vicente”.

Estas medidas sobre as quais, segundo Josina Fortes, espera ter a oportunidade de dialogar nos próximos tempos com a Liga Independente dos Grupos Oficias do Carnaval – São Vicente (LIGOC-SV) e que se forem “clarificadas e melhoradas” podem fazer com que o grupo volte, no próximo ano, para os desfiles da terça-feira e, quem sabe, arrecadar o tri-campeonato, que, ajuntou, tinham em mente ganhar agora em 2019.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.