Durante a entrega dos cheques, o vereador da Cultura, Adildo Soares, disse que este ano a autarquia teve um “constrangimento financeiro”, tendo feito uma “ginástica” para subsidiar o Carnaval.

Segundo o vereador, este valor está de acordo com o que estava orçamentado desde anos anteriores, que a edilidade disponibiliza todos os anos, justificou. Entretanto, disse que aguardavam pelo incentivo atribuído todos os anos pelo Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas, no valor de 200 contos, mas tal não aconteceu.

O valor de 250 contos foi dividido pelos dois grupos oficiais, Amigos da Natureza e Bela Vista, em que coube a cada um o valor de 67 mil escudos. A escola básica Lucília Freitas, considerado o terceiro grupo oficial, recebeu 50 mil escudos e o grupo Baiana, 25 mil escudos.

Os grupos de animação Projecto Educarte e jardins infantis Irmã Rossio, Florido e Padre Gesualdo, receberam 10 mil escudos cada um. Para além deste valor, a autarquia disponibilizou outros tipos de apoios como transporte, atrelado para transportar andores, água, entre outros materiais.

Durante o encontro, o grupo Amigos da Natureza contestou o apoio atribuído como sendo “insuficiente”, alegando que os músicos que tocam no seu grupo são pagos, mas o vereador da Cultura prometeu “aumentar a verba” no próximo ano, tendo em conta “a dinâmica e o crescimento de grupos oficiais”.

Por outro lado, o grupo Amigos da Natureza também prometeu trazer um projecto ambicioso no próximo ano, ficando assim lançado o “desafio” de ambos os lados.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.