O grupo carnavalesco de São Nicolau, Brilho de Zona, vai homenagear os “Zulu” ou “Zulo”, um povo de sul de África.

Segundo o presidente do grupo, Eduino Gonçalves o objetivo é divulgar a cultura africana. “O carnaval sempre foi inspirado na Europa e este ano recorremos ao nosso continente”.

O Brilho de Zona já arrancou com os preparativos para a festa do Rei Momo, mas de acordo com a mesma fonte o grupo está a passar por vários contratempos.

“O nosso maior parceiro, o ministério da Cultura, disse que iria disponibilizar 1500 contos de acordo com o edital de setembro do ano passado, mas agora reduziram para 800 contos”, diz.

Eduino Gonçalves disse ao SAPO que até ao momento receberam apenas uma parte da verba, que foi parcialmente usada no pagamento de dívidas do ano passado.

“No dia 2 de dezembro recebemos apenas 200 contos. Está a ser complicado trabalhar com este montante porque temos dívidas do ano passado, uma vez que o Ministério da Cultura não disponibilizou a verba dos 150 contos que tinha contos prometido para 2016”, esclarece.

A mesma fonte disse que este ano o grupo corre sérios riscos de sair no carnaval sem um carro alegórico, isto porque o Ministério da Agricultura, que todos os anos disponibiliza as viaturas para transportar os andores, recusou cede-las este ano.

“Fizemos uma carta a solicitar as viaturas, mas o Ministério da Agricultura disse que é um mau hábito que temos e sugeriu que recorrêssemos a empresas privadas justificando que não tem nada a ver com o carnaval. Este ano podemos vir a ter um carnaval sem carros alegóricos”, explica.

No que diz respeito às figuras de destaque do grupo, rei e a rainha, Eduino não revelou os nomes, mas adianta que são naturais de São Nicolau.