A informação foi ontem,03, avançada à Inforpress, pela responsável do grupo, Lecília Monteiro, informando que a novata agremiação pretende com este enredo mostrar um pouco do que existe no continente africano, apresentando vários tipos de vestuários, e ainda as músicas tradicionais de Cabo Verde.

De momento, avançou que já iniciaram os ensaios e que estão a aguardar o apoio já garantido da edilidade santa-catarinense sem adiantar o montante e os nomes de outros parceiros.

É que, segundo Lecília Monteiro, o grupo por si só não tem condições para sair à rua, sobretudo por ser o primeiro desfile, daí que vão continuar a procurar novos patrocinadores para que possam sair às ruas e trazendo um “Carnaval diferente e único” no dia 25 de Fevereiro.

Para esta estreia, o grupo pretende sair com 180 foliões de todas as faixas etárias, sete alas e um carro alegórico, para mostrar “um pouco de África” em várias dimensões.

Por outro lado, lembrou, que a agremiação que surgiu na sequência da “paragem/fim” do “Mundo Colorido” que era o único grupo que tem vindo a desfilar nos últimos 10 anos, em Santa Catarina.

Aliás, Lecília Monteiro, que há dez anos vem brincando Carnaval no “Mundo Colorido”, fez saber que assim como ela esse novel grupo carnavalesco conta com integrantes da agremiação que, ora se encontra “inactiva”.

A Inforpress tentou contactar a então presidente do Mundo Colorido via telefone, mas os resultados foram infrutíferos.

Relativamente ao subsídio a ser atribuído ao único grupo oficial Flores de Assomada, as escolas e jardins infantis, a edilidade santa-catarinense promete concluir o processo ainda esta semana.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.