Após o percalço no primeiro desfile com a queima de uma mesa de som, que obrigou o grupo a começar o desfile já na manhã de domingo, 03, o Estrela Azul foi o primeiro a entrar no Terreiro para a segunda ronda dos desfiles, ocorridos na noite do mesmo dia. Eram por voltas das 21:30.

De uma forma “eletrizante” e com muito samba no pé, os foliões deste grupo que desceu da zona de Lombinho, tentaram, com o seu enredo, sensibilizar a população no sentido de evitar todos os tipos de violência contra as mulheres.

O Copa Cabana, que partiu da zona de Chãzinha, passando por ruas apertadas de Ribeira Brava, num verdadeiro desafio para os seus condutores, chegou, também cheio de folia, ao Terreiro minutos depois com um enredo baseado num “tema de caráter universal”, o Apocalipse.

A ideia deste tema, conforme disse à imprensa o presidente do grupo, Emanuel Cabral, é aproveitar o Carnaval para incutir nas pessoas uma reflexão sobre o sentido da vida, nestes dias em que se vivencia uma sociedade “cheia de problemas”.

Apesar de não haver competição, notou-se uma “grande rivalidade” entre o Copa Cabana e o Estrela Azul, cujos seus foliões capricharam no samba, nos toques, dentre outros. Tudo para provar que são melhores do que os “rivais”.

Rivalidade esta que desapareceu no Terreiro, no decorrer da festa, quando elementos dos dois grupos se misturaram para brincar o Carnaval de São Nicolau, deixando os “estrangeiros” sem saber quem pertencia a Copa e quem era do Estrela.

Mas tarde o palco da festa transferiu-se para as salas de dança dos dois grupos. Os foliões do Copa Cabana foram continuar a festejar o Carnaval noite dentro no polivalente de Chãzinha e os do Estrela Azul no polivalente de Maiamona.

Os desfiles foram acompanhados de perto pelo ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, quem defendeu um acompanhamento dos grupos carnavalescos de São Nicolau, ao longo dos anos, para garantir que os mesmos possam sair em todos os carnavais, mantendo viva esta festa popular de “excelência”.

Refira-se ainda que o Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas disponibilizou 1.600 contos para os de São Nicolau, divididos pelos dois grupos oficiais que desfilaram este ano. Nesta edição, por falta de condições, a direção do Brilho da Zona resolveu retirar-se.

Os grupos voltam ao Terreiro no próximo dia 5, terça-feira de Carnaval para o terceiro e último dia dos desfiles.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.